Se antes esculhambava, agora Wilson Lima vai pagar mais de R$ 85 milhões a Umanizzare com um mês de Governo

É impressionante como os políticos mudam de discursos após eleitos. O Governador Wilson Lima, diante das câmeras do programa da TV A Crítica que apresentava, esculhambava a Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda e os problemas criados pela empresa que ganha milhões dos cofres públicos para administrar os presídios do Amazonas. Manteve o discurso ao virar candidato a governador do Estado. Mas agora a prática é outra. A empresa embolsará do Governo de Wilson Lima (PSC), mais de R$ 85 milhões em apenas um mês de Governo.

Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência do Governo do Estado e fazem referência aos valores do mês de janeiro. Para se ter uma ideia do magnitude do valor destinado pelo Governo de Wilson Lima à Umanizzare, ele representa mais de 73% dos R$ 115 milhões que o ex-governador cassado José Melo pagou para a empresa em oito meses de Governo (janeiro a agosto), no ano de 2017. Os dados também estão no Portal da Transparência do Governo.

Dos R$ 85 milhões, R$ 18 milhões já foram efetivamente pagos sendo R$ 17,4 milhões pagos referentes a este mês e R$ 181,5 mil referentes a débitos de exercícios anteriores. O restante, cerca de R$ 67,7 milhões, está empenhado, ou seja, o Governo, via Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) se comprometeu em pagar.

A Umanizzare é a empresa responsável pela gestão das unidades prisionais do Amazonas e foi a protagonista durante o massacre ocorrido no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em 2017, quando mais de 60 detentos foram assassinados no Complexo.

Durante a campanha eleitoral, diante da pressão popular e de órgãos de controle do Estado pelo cancelamento do contrato firmado entre o Estado e a empresa, Wilson Lima chegou a dizer, em entrevistas à imprensa, que iria avaliar a renovação ou não dos contratos com a Umanizzare.

“Nós vamos rever esse contrato com a Umanizzare. Se for o caso, quebrar o contrato, porque a gente precisa voltar a ter o controle sobre os presídios, separando o regime aberto do fechado”, declarou o então candidato ao Governo, Wilson Lima, no Jornal do Amazonas, da Rede Amazônica, em agosto de 2018.

Só que naquele tempo, parafraseando o jargão que usava em seu programa, a “bronca era com ele” mas agora, pelo que parece, ele num quer nem saber da bronca e prefere manter tudo como antes, ainda pagando mais.