SEC promove consulta pública para o programa Espaço Aberto

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) disponibilizou para consulta pública, até esta sexta-feira (30), o edital do “Programa Espaço Aberto”, que visa a ocupação dos equipamentos culturais no Estado em 2019. O documento está disponível na aba “Editais” do Portal da Cultura e os interessados em contribuir ou participar do programa poderão enviar sugestões para o e-mail espacoaberto@cultura.am.gov.br.

Após o período de consulta, haverá um prazo de dois dias úteis para ajustes e resposta ao público. O edital do Programa será lançado ainda no início de dezembro, com inscrições abertas para ocupação nos meses de janeiro e fevereiro.

Os espaços

Os equipamentos culturais disponibilizados para realização das atividades abertas ao público são: Teatro Amazonas, Teatro Américo Alvarez, Teatro Jorge Bonates, Teatro da Instalação, Cine Teatro Aldemar Bonates (Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou), Cine Teatro Guarany, Cine Teatro Padre Pedro Vignola (Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola), Cine Teatro Comandante Ventura (Centro de Convivência do Idoso); Casa das Artes, Centro Cultural dos Povos da Amazônia, Centro Cultural Palácio da Justiça, Centro Cultural Palácio Rio Negro, Centro Cultural Usina Chaminé, Largo de São Sebastião, Centro de Artes Visuais – Galeria do Largo, Palacete Provincial; os parques Senador Jefferson Péres e Rio Negro; e as praças Antônio Bittencourt e Heliodoro Balbi.

Poderão participar do “Programa Espaço Aberto” pessoas físicas maiores de 18 anos, e pessoas jurídicas com ou sem fins lucrativos. Não haverá limitação para a quantidade de projetos inscritos por proponente, mas estes estarão sujeitos à aprovação da Comissão de Seleção, conforme os critérios de avaliação.

“O ‘Espaço Aberto’ garante aos interessados a possibilidade de ocupar com ações culturais todos os equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas. Teatros, museus, centros culturais e galerias devem ser ocupados por artistas e a sociedade civil organizada com ações culturais vivas e dinâmicas. É fundamental que os equipamentos culturais sejam ocupados, tornados lugares de criatividade e expressividade de linguagens e suas transversalidades sendo o espaço de gestão, criação e apresentação da sensibilidade humana”, disse o diretor de Teatros e Centros Culturais da SEC, Madirson Souza.