Secretaria da Região Metropolitana: amor a causa própria

 

Até cheguei a pensar que euzinha aqui emburreci, meu povo, e que já não sabia mais quais são os municípios da Região Metropolitana, ao ler a na página de Facebook do secretário da Região Metropolitana, Elânio Gouvêa que “a ajuda pra escoar a produção rural já chegou a vários municípios da região metropolitana”. E sabe onde o secretário e mais quatro assessores, com passagens e estadias pagas com dinheiro público, estavam quando foi feita essa postagem, minha gente? Em Humaitá! Êpa, mas Humaitá não fica na região metropolitana! – só se ele foi fazer uma visita à família, já que é de lá?

Para avivar a memória do secretário, os 13 municípios da região metropolitana são: Autazes, Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva e Silves. Ou seja, o secretário se distanciou, e não foi pouco não, da Região Metropolitana. Será que perdeu o rumo, meu povo?

Pra se achar, é só seguir o nosso Radar! Está aí um mapa pra se situar.

Se deu tempo do secretário Elânio Gouveia visitar os parentes não se sabe, o que se sabe e fica visível nas fotos é que o secretário estava à tiracolo – dizem que como sempre – da sobrinha de Amazonino Mendes, Monica Mendes, fazendo as vezes de “primeira-dama” no cargo de presidente do Fundo de Promoção Social do Estado (FPS), já que sempre foram as esposas de ex-governadores que estiveram à frente do FPS.

E parece que a sobrinha-presidente do FPS incorporou os atos de pelo menos uma ex-primeira-dama, a esposa do ex-governador José Melo, que a última coisa que fazia era assistência social, comprando pelo fundo até diesel pra balsa e garantindo até asfalto pra ramal. A atual sobrinha-presidente do FPS estava lá pelo interior era distribuindo trator – e onde fica o IDAm e a Sepror, gente? Será que extinguiram e eu não sei?

E devidamente acompanhada do deputado estadual Josué Neto que a gente tem certeza não fazer parte de nenhum órgão de apoio ao setor primário – em campanha à reeleição de deputado a gente sabe que está.

E na extensa comitiva com tudo pago com dinheiro público – não deu nem pra contar quanta gente, meu povo! – ainda tinha mais um integrante, o secretário de Infraestrutura do Estado, Oswaldo Said Junior, não por acaso secretário-marido da presidente do FPS. Uma ação entre amigos, parentes e apaniguados, que lotam as estruturas das secretarias da tão amorosa administração estadual.