Secretária da Semed contrata por mais de R$ 2 milhões programa de antivírus de empresa de Santa Catarina  

Segundo dados da Receita Federal a empresa fica em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, lá no sul do Brasil.

A secretária municipal de Educação, irmã do prefeito David Almeida (Avante), Dulcineia de Almeida vai gastar mais de R$ 2 milhões na compra de um software de antivírus. O programa de proteção para computadores será destinado à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e a empresa responsável pelo contrato é a IPTRUST Advance Tecnologia da Informação LTDA-EPP.

Segundo dados da Receita Federal a empresa fica em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, lá no sul do Brasil. O quadro de sócios da empresa é composto por Alessandro Kern Fernandes e Luciano Szostkiewicz de Paula. 

O extrato do contrato foi publicado no Diário Oficial da Prefeitura na última quinta-feira (12). (veja documento ao final da matéria).

O contrato prevê também o treinamento de cinco pessoas na área de solução de antivírus. Durante 36 meses, a empresa fornecerá também suporte técnico, conforme o contrato.

O Radar tentou saber junto a prefeitura de Manaus, via Semed e Semcom (Secretaria Municipal de Comunicação) como se dará esse treinamento de pessoas e esse suporte técnico, já que a empresa fica em outro Estado. Será que a empresa tem escritório também em Manaus? Ou o treinamento de pessoas e o suporte técnico será de forma virtual?

A demanda foi enviada na tarde dessa segunda-feira (16), mas até a tarde desta terça-feira (17) não veio resposta.

Resposta da Semed

Em resposta, a pasta informou que o investimento irá, segundo a nota, proteger mais de 14 mil colaboradores por três anos e que os treinamentos de pessoal serão realizados de forma remota, podendo, se necessário ser presencial, não explicando a pasta quem arcaria com esses gastos, caso necessário.  Leia a nota na íntegra:

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) informa que o investimento de R$ 2 milhões para a aquisição de software de segurança de endpoint (antivírus) irá proteger mais de 14 mil dispositivos de colaboradores (dentre servidores, professores e, indiretamente, os alunos) pelos próximos três anos. O órgão reitera que é fundamental, caso venha a sofrer com ataques ransomware e outras atividades maliciosas, ter condições de proteger os dados e as informações de alunos, evitando indisponibilidade nos serviços e até interrupções no andamento das atividades administrativas da terceira maior rede municipal de ensino do Brasil. A Semed afirma também que está atendendo às exigências do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), além das políticas de segurança das administrações públicas. O órgão esclarece, ainda, que os treinamentos serão realizados de forma presencial, mas os servidores que não puderem comparecer serão auxiliados de forma remota. De acordo com o edital, o suporte técnico poderá ser realizado de forma remota, entretanto, em comum acordo entre as partes e se necessário, as atividades e suportes poderão ser presenciais.

CNPJ da empresa

Extrato do contrato