Secretaria de Segurança anuncia que laudos da perícia não permitem “validar a hipótese de homicídio” na morte da soldado PM Deusiane

Laudo morte da soldado PM Deusiane Solda

A Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) anunciou, nesta quinta-feira (03), o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), entregou à Diretoria de Justiça e Cidadania da Polícia Militar do Amazonas (DJC/PMAM) uma cópia do laudo pericial da morte da soldado da PM Deusiane da Silva Pinheiro, ocorrida no dia 1 de abril deste ano, no interior de uma embarcação fluvial do Batalhão Ambiental da PM onde ela trabalhava.

O laudo foi entregue, conforme a SSP, pelo diretor do DPTC, Jefferson Mendes, ao diretor da DJC/PMAM, coronel Hildeberto de Barros Santos, para ser anexado ao inquérito militar aberto pela Polícia Militar do Amazonas, que instaurou investigação sobre o caso.

A conclusão do laudo seria a seguinte: “Analisando todas as versões e depoimentos das testemunhas, aliadas aos resultados obtidos dos exames complementares, laudo cadavérico e laudo de local de crime observa-se a falta de elementos de convicção técnico-científica, que permitissem validar a hipótese homicídio”.

A nota enviada a imprensa pelo SSP informa que, de acordo com o diretor do DPTC, Jefferson Mendes, foram feitas a solicitação de seis laudos periciais: O laudo do local de crime, necroscópico, balística, residuográfico, de informática e reprodução simulada (reconstituição). “Neste caso, a perícia contou ainda com reagente, utilizado internacionalmente, conhecido como Luminol. Ele é usado para detectar vestígios de sangue em alguns objetos mesmo que o local tenha sido limpo de alguma forma”, explica o diretor da DPCT.