Secretaria de Segurança oferece curso de informática gratuito para pessoas com mais de 50 anos

Estão abertas as inscrições para o curso de ‘Inclusão Digital’ voltado para pessoas acima de 50 anos e coordenado pelo Programa de Redução da Violência e do Uso de Narcóticos e Entorpecentes (Previne) da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM). Ao todo serão 90 vagas divididas nos turnos da manhã, tarde e noite.

O período de inscrição para o público iniciou no dia 1º de fevereiro e vai até esta sexta-feira ao meio-dia, dia 12. O curso tem carga horária de 80 horas e termina no mês de junho, com turmas nos turnos da manhã, tarde e noite.

Para fazer a inscrição, os interessados devem procurar a sede da Secretaria de Segurança Pública na Av. Torquato Tapajós, nº 5.555, Flores. É necessário apresentar cópias do RG, comprovante de residência e de escolaridade, além de duas fotos 3×4. Para mais informações, basta ligar para os números: (92) 3652 2051 ou 3652 2038.

A coordenadora do curso de Inclusão Digital, Minéia Veiga, ressalta que o projeto visa estimular a busca pela melhor qualidade de vida, por meio de atividades que estimulem a sociabilidade e comunicação. “O programa abrange também visitas a pontos turísticos, especialmente porque alguns alunos nunca tiveram a oportunidade de conhecer as belezas da cidade. Além disso, eles participam de palestras com temas voltados a vida da pessoa idosa”, disse Minéia.

Ela explica que o projeto trabalha com informática básica para iniciantes, e posteriormente, é oferecido aos alunos o módulo dois, que é o curso mais avançado. Entre as demais atividades do ‘Inclusão Digital’, estão a distribuição de alimentos oferecidos pelo programa Mesa Brasil, do Sesc Amazonas, expedição de carteiras de identidade, cadastro biométrico e campanha de vacinação dos idosos.

Minéia destaca ainda que a iniciativa do Previne/SSP-AM tem mudado a vida dos participantes, dando a eles mais interação com a sociedade. “O projeto os aproxima da tecnologia, mas também estimula sobre questões muito importantes como uma alimentação saudável para uma melhor qualidade de vida e o conhecimento sobre o direito da pessoa idosa, através de palestras e momentos de diálogo”, disse a coordenadora.