Secretário da Susam apresentou proposta da própria empresa em esquema milionário de superfaturamento de plantões médicos

O atual secretário adjunto da capital da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Thales Schincariol, apresentou ao Governo uma cotação de prestação de serviços médicos superfaturada de sua empresa a TS Schincariol & Cia Ltda em um esquema que beneficiaria a empresa Líder Serviços. Essa informação foi passada pubicamente pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado, nesta sexta-feira (10).

A CPI apurou que, cinco dias após apresentar a proposta superfaturada, que foi assinada por sua mulher, Karen Madi, Thales Schincariol foi nomeado como diretor do Hospital Nilton Lins (Veja o documento no fim do texto).

Em resposta a solicitação da cotação de empregos de uma funcionárias das Gerência de Compras da Susam, a TS Schincariol, empresa do hoje secretário executivo da Susam, Thales Schincariol, apresentou proposta de 2, 6 mil por plantão e a empresa ganhadora, a Líder Serviços apresentou proposta de R$ 1,8 mil.

Até então, a Susam pagava R$ 1,4 mil por plantão.

Na última semana, membros titulares da CPI fizeram uma inspeção surpresa no Hospital Nilton Lins, referência na capital para tratamento da Covid-19, e solicitaram dados sobre prestações de serviços.

“Observa-se a violação, a quebra de um princípio moralidade, de imparcialidade que a gente observa de forma corriqueira na gestão da saúde”, afirmou o presidente da CPI, deputado Delegado Péricles.

Gastos da AADES

Os membros da CPI começaram a analisar os gastos do Governo com o projeto “Anjos da Saúde” que custou R$ 6 milhões aos cofres públicos e era gerenciado pela jornalista Carla Pollake, que não tinha, oficialmente, cargo ou função no Governo.

Os funcionários do “Anjos da Saúde” eram pagos pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES).

“Eu procurei e não achei quem são os funcionários da AADES, você encontra de todas as outras secretaria, menos da AADES”, criticou o deputado Serafim Corrêa (PSB).

Para os membros da CPI, Carla Pollake teria cometido pelo menos três crimes: tráfico de influência, falso testemunho e falsa identidade.

Nova reunião

A próxima reunião da CPI da Saúde já está marcada para segunda feira (13) às 10h.

Até lá os deputados solicitaram que o Governo envie todos os documentos referentes aos gastos com a Saúde. Entre eles estão as depesas com gastos aéreos neste ano.

Errata: O Radar Amazônico vem a publico explicar que, em respeito ao jornalismo sério e comprometido com a verdade que é a razão maior da nossa existência , fez correções nesse texto quanto a informação do valor cobrado pela empresa Líder Serviços no que diz respeito a prestação de serviços médicos no Hospital Estadual de Campanha Nilton Lins. O valor correto da proposta vencedora feita pela Líder Serviços foi de R$ 1,8 mil. Nossas desculpas pelo equívoco.

Cotação de Preço ( clique para zoom)