Secretário de Saúde e diretor da FVS darão explicações à Aleam sobre ações do governo do AM para uma possível 3ª onda da Covid-19

O Secretário de Saúde do Amazonas (SES-AM), Marcellus Campêlo, e o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Cristiano Fernandes, darão explicações, em Audiência Pública virtual da Comissão de Saúde e Previdência da Assembleia Legislativa do Amazonas (CSP-Aleam), sobre a preparação do governo do AM para uma possível 3ª onda da Covid-19. O biólogo e pesquisador Lucas Ferrante também estará no evento. A reunião ocorre nesta segunda-feira (05), às 10h, com transmissão pelas redes sociais e Youtube da Aleam.

Convidados pelo membro da Comissão de Saúde, deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), por meio de convite aprovado na Casa Legislativa, no último dia 23 de março, os gestores vão precisar informar a população sobre o andamento do combate ao vírus, e revelar quais estratégias serão adotadas num cenário de iminente reinfecção.

“Não é de agora que alertam o Amazonas para uma terceira onda. O secretário e o diretor da FVS precisam deixar o povo amazonense preparado. Não podemos ser pegos de calça curta, como foi na segunda onda. Queremos saber como está o interior, os leitos de UTI’s (Unidades de Terapia Intensiva) … Se o governo tiver competência, ele precisa deixar a população preparada”, afirmou Barreto.

O pesquisador Lucas Ferrante, que compõe o grupo de pesquisadores que previram a segunda onda no Amazonas, com quatro meses de antecedência, estará novamente na Assembleia. “Manaus teve muitos erros ao lidar com a pandemia que foi quase de forma proposital. Poderia ter sido resolvido esse problema com meses de antecedência se nossos estudos tivessem sido considerados. Nesse momento que o Brasil vive com segundas e terceiras ondas em várias capitais, em vários estados, uma terceira onda para Manaus pode ser ainda mais devastadora”, disse o cientista em entrevista para a imprensa.

Devem participar da audiência, além dos membros titulares da comissão, o Ministério Público do Estado (MP-AM), Defensoria Pública (DPE-AM), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Fiocruz e demais autoridades.