Segurança do prefeito de Nhamundá, que ameaçou jornalista, é denunciado ao procurador-geral do MP e a SSP

fabio monteiro capa

O segurança do prefeito de Nhamundá, Nene Machado, Valber Silva, o Cabecinha, foi denunciado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais  (SJP-AM), filiado a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj),  a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP/AM) e ao Ministério Público do Amazonas por ameaças ao jornalista Jonas Santos, do blog deAmazonia. Nesta quinta-feira (19), o
presidente do Sindicato dos Jornalistas, Wilson Reis, entregou ao procurador-geral de Justiça do Estado do Amazonas, Fábio Monteiro, um ofício solicitando providências cabíveis do MP. Reis também havia protocolado, a mesma denuncia, ao secretário de Segurança, Sérgio Fontes.

O presidente do sindicato informou que o número de agressões e ameaças contra os profissionais da mídia no Brasil e no Estado do Amazonas aumentaram.

“Estamos tomando o caso do jornalista Jonas Santos, que é associado à entidade e trabalha no município de Parintins, para fazer um alerta tanto para a categoria, que deve ter o comportamento de registrar as ameaças e até situações mais graves, fazendo Boletim de Ocorrência e acionando o sindicato; e para que as direções das empresas de comunicação possam garantir, através de equipamentos e até dos próprios órgãos de segurança pública, o livre exercício da profissão,
porque o jornalista está exposto diariamente aos riscos quando faz qualquer tipo de investigação [para suas reportagens]”, afirmou Wilson Reis.

O procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro disse que o Ministério Público utilizará de suas prerrogativas para cobrar das autoridades que medidas sejam tomadas para garantir o pleno exercício da função de jornalista e de todas as profissões que possam ter algum risco no exercício da atividade.

“O que o Ministério Público pode fazer é se colocar à disposição sempre que profissionais e sindicatos se sintam em situações de risco, para que tomemos providências no sentido de responsabilizar aqueles que estão os ameaçando ou intimidando. Por lei mesmo, nós não temos
como ter uma estrutura preventiva, mas quando estamos numa situação pontual, concreta, temos condições e a obrigação de tomar providências para responsabilizar quem está fazendo uma atitude ilegal”, assegurou o procurador-geral do Amazonas.

Violência contra jornalistas

Segundo o Relatório da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa-2015, da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), 137 ocorrências contra profissionais da imprensa, televisão, rádio, blogs e demais mídias digitais foram registradas no ano passado. São oito casos a mais do que os 129 registrados no ano anterior. Em 2014, a região Norte foi classificada como a quarta mais violenta para jornalistas e, no ano passado, apareceu em terceiro lugar.

Ofício Fábio

Ofício sindicato