Protestos contra Michel Temer acontecem em vários estados nesta sexta-feira (10/06)

Manifestantes realizaram atos contra o presidente em exercício Michel Temer em vários estados do país na manhã desta sexta-feira (10). Os atos foram convocados por movimentos sociais e sindicatos e, além de críticas ao governo federal, reúnem reivindicações específicas das categorias.

Veja a situação em cada estado:

Alagoas

Protesto Temer - Alagoas 2

Os participantes do ato “Fora Temer” se concentraram na Praça do  Centenário, no bairro do Farol, em Maceió, e saíram em caminhada até o Centro. Lá, ocuparam um edifício onde funcionam diversos órgãos nacionais, como Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a delegacia federal do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), hoje incorporado à Casa Civil.

O protesto foi encerrado por volta das 13h sem registro de confrontos. De acordo com a organização, cerca de 3,5 mil pessoas participam do ato. A Polícia Militar (PM) registrou a presença de mil pessoas.


Mato Grosso do Sul

Protesto Temer - Mato Grosso do Sul

Um ato de professores em Campo Grande por garantias de direitos virou manifestação contra Temer. Um boneco batizado de “Michel Terror” foi carregado à frente da caminhada que percorreu as principais ruas da capital. A organização fala em 5 mil participantes. Não havia polícia na manifestação, que foi pacífica.


Paraíba

Protesto Temer - Paraíba

Um protesto contra mudanças na previdência interrompeu o trânsito em ruas do Centro de Campina Grande pela manhã. Segundo a organização, 1 mil pessoas participaram da caminhada. A Polícia Militar só acompanhou o encerramento da manifestação e diz que eram 400.

A manifestação chegou a fechar o principal cruzamento da cidade, nas avenidas Floriano Peixoto e Venâncio Neiva, passou pela sede da prefeitura e foi até a praça Clementino Procópio, onde se dispersou.


Paraná

Protesto Temer - Paraná

Os atos acontecem na Região Metropolitana de Curitiba. O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) bloqueia a Rua Doutor Faivre entre as avenidas Sete de Setembro e Visconde de Guarapuava, no Centro, com cerca de 1,2 mil manifestantes – a polícia não divulgou estimativa até a última atualização da reportagem.

O movimento também realiza atos em frente a uma agência do INSS também no Centro; junto à Refinaria Getúlio Vargas, da Petrobras, em Araucária; na marginal da BR-476, na altura do km 150; em frente à Caixa Econômica Federal da Praça Carlos Gomes; na sede da Petrobras; e na sede da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Os bancários atrasaram em 1 hora a abertura de cerca de 20 agências do eixo Marechal Deodoro e de três centros administrativos. Além disso, os servidores públicos municipais fazem um protesto em frente ao Instituto Curitiba de Saúde (ISC), na Avenida Marechal Floriano, contra a falta de repasses da prefeitura para o órgão.


Rio Grande do Norte

Protesto Temer - Rio Grande do Norte

Integrantes do Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Norte (Sindipetro/RN) interditaram pela manhã o trecho do Km 46 da BR-304, em Mossoró, no Oeste potiguar. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, cerca de 200 manifestantes participaram do ato. A rodovia foi liberada às 8h40.


São Paulo

Protesto Temer - São Paulo

Manifestantes do MST e outros movimentos sociais interditaram o km 154 da BR-153, a Transbrasiliana, em Promissão (SP), na manhã desta sexta-feira (10). Os dois sentidos da rodovia foram bloqueados por quase três horas. As pistas já estão liberadas.

Ainda não há informações sobre o número de participantes do ato, nem dos organizadores e nem da Polícia Rodoviária Federal.


Rio de Janeiro

Protesto Temer - Rio de Janeiro

Um abraço simbólico no castelo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), sede da instituição, no Rio de Janeiro, marcou hoje (10) um ato em defesa da democracia no país. Com faixas e cartazes contra o governo interino de Michel Temer, contra o afastamento da presidenta Dilma Rousseff, o que para muitos foi um golpe, e em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), a manifestação reuniu cerca de 500 pessoas, entre servidores, estudantes e terceirizados, segundo os organizadores.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Fiocruz reúne especialistas de referência na América Latina na área de saúde coletiva. Oferece cursos para formar profissionais de excelência e investe em alta tecnologia, na fabricação de remédios e de vacinas, por exemplo.

De acordo com o historiador e pesquisador da Fiocruz Carlos Fidelis Ponte, que participou do ato, as mais recentes declarações de autoridades do governo interino sinalizam para perdas de direitos sociais, em especial para o corte de recursos do SUS.