Seis pessoas são mortas em menos de três horas em Manaus

Mesmo com mais de R$ 280 milhões investidos em Segurança no Amazonas, moradores de Manaus vivem sob ameaça de crimes

Mesmo que o Amazonas tenha investido mais de R$ 280 milhões em Segurança somente com o programa Amazonas Mais Seguro, a onda de violência na capital tem se tornado frequente. Nessa terça-feira (3), em um intervalo de menos de 3 horas, seis pessoas foram brutalmente assassinadas em diferentes zonas de Manaus.

A primeira morte da tarde dessa terça ocorreu na rua Praia do Forte, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus. As vítimas foram identificadas como Maurício Júnior Carvalho de Souza, o mototaxista Jadson Martins Dias e André Felipe Batista. De acordo com informações de testemunhas, os suspeitos chegaram em dois veículos e atiraram contra as vítimas. Jadson e Maurício morreram no local, enquanto André Felipe foi levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu. Informações apontam que o local seria um laboratório para refino e preparo de pasta-base de cocaína, ainda segundo uma fonte policial.

O segundo caso ocorreu em uma área de mata próxima da avenida dos Oitis, no Distrito Industrial, zona Leste. A vítima ainda não foi identificada, mas de acordo com a polícia, uma denúncia anônima indicou o local do corpo que apresentava várias marcas de tiros.

Foto: Divulgação

A quinta morte do dia aconteceu no beco Monte Alegre, na Compensa, zona Oeste de Manaus. Um homem, que não teve a identidade revelada, foi morto após ser baleado com, ao menos 5 disparos, sendo a maioria na cabeça. Segundo moradores, a vítima andava pelo beco quando foi surpreendida. Segundo testemunhas, ele não seria morador da área.

Para a polícia, alguns detalhes chamam a atenção. “Ele tem uma tatuagem de carpa, que significa que ele poderia ser matador de facção na linguagem dos suspeitos. A munição encontrada aqui no local do crime foi a mesma encontrada no Tarumã. onde, mais cedo, ocorreu um triplo homicídio, indicando que os crimes podem ter ligação”, disse um policial que não quis se identificar.

O sexto caso ocorreu no bairro Valparaíso, zona Norte de Manaus, quando o gari Mário Salviano Mendonça Júnior foi morto a tiros na rua Chico Mendes. De acordo com a polícia, a vítima estava voltando do trabalho quando foi alvo de uma emboscada de um carro preto, com os ocupantes do veículo abrindo fogo contra ele. O capacete que a vítima estava usando ficou todo furado pelos disparos.

Em todos os casos, os corpos foram encaminhados para perícia na sede do Instituto Médico Legal (IML) e equipes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) devem investigar o crime para saber a motivação e autoria de cada um deles.