Sem conseguir escoar produção por causa de ramal lamacento, agricultor surta e joga carga de cheiro verde em frente à prefeitura de Presidente Figueiredo (ver vídeos)

Foto: Divulgação/ Radar Amazônico

Um agricultor identificado apenas como Jorge, que mora no ramal do Rio Pardo, na manhã desta quarta-feira (22), cansado de prejuízos por não conseguir escoar a produção, jogou toda a carga de cheiro-verde na porta da prefeitura de Presidente Figueiredo, município distante 126 km da capital amazonense.

De acordo com informações de testemunhas, o agricultor que vende a produção em Manaus em uma feira, teria que ter saído de Figueiredo e estar na capital por volta das 4h da manhã, porém, devido às más condições do ramal não conseguiu chegar a tempo.

Em vídeo, Jorge aparece indignado e mostra o carro carregado com as plantações, atolado no meio do lamaçal.

“Olha aí já está amanhecendo o dia e eu continuo atolado, atolado, a situação que tá meu carro! Passei a noite e perdi a minha carga de cheiro-verde”, diz o agricultor Jorge.

Em outro vídeo, o agricultor diz que a única coisa que a prefeitura poderia fazer e não faz é dar condições para o povo trafegar e conseguir escoar seus produtos.

Sem pensar duas vezes, o homem quando consegue sair com seu carro do lamaçal, após ser ajudado por outro morador, vai parar na frente da prefeitura e joga toda a carga de cheiro-verde.

“Os clientes lá em Manaus estão esperando isso daqui, estão achando que eu desviei o produto, eu nem respondi. Os caras estão lá, são pais de família também sem trabalhar, porque estão esperando isso aqui para ganhar o pão deles lá também. Eu fiquei enterrado dentro da lama, a noite toda. Falta de respeito. Quero saber quando esses governantes vão ter respeito pelo povo”, disse o agricultor indignado.

Mesmo com toda a gritaria, a prefeita Patrícia Lopes não saiu para ouvir as reivindicações do agricultor e nem para falar sobre a produção que foi perdida e causou prejuízo.