Sem ordem da Justiça Eleitoral, policiais militares apreendem panfletos de Braga e tentam invadir comitê

Comite Braga 3

Incomodados com uma panfletagem que estava sendo feita na Bola do Eldorado onde os panfletos traziam matérias nacionais sobre o problema da falta de segurança no Estado e a utilização da Polícia militar na campanha eleitoral do governador, policiais do Ronda no Bairro tomaram, na marra, os impressos que estavam com os cabos eleitorais da coligação Renovação e Experiência. Não satisfeitos com a apreensão dos panfletos, os policiais do Ronda no Bairro avisaram o que estava acontecendo para o secretário do Ronda no Bairro, coronel Roosevelt Encarnação, que teria dado a ordem para que eles fossem ao comitê do candidato ao Governo, senador Eduardo Braga,  situado à rua 31, do Conjunto Castelo Branco, Parque 10, e apreendessem todo material de propaganda política que encontrassem no local. O secretário do Ronda no Bairro é um dos comandantes nomeados pelo governador José Melo que responde a processo na Justiça sob acusação de participar de um grupo de extermínio.

Comite Braga 1Os policiais cumpriram prontamente a ordem dada pelo comandante. Por volta das 16h, oito policiais militares comandados pelo sargento Augusto Leite e divididos em duas viaturas do Ronda no Bairro tentaram invadir, sem nenhuma explicação, autorização ou mandado de busca e apreensão, um dos comitês eleitorais da coligação “Renovação e Experiência” do candidato Eduardo Braga (PMDB), no Parque 10.

Comite Braga 5Estrutura que não se vê nem em assalto a banco e sequestro de empresário, foi visto esta tarde no aparato da Polícia Militar. Para a tal “operação”, o comandante do Ronda no Bairro, coronel Roosevelt destacou ainda dois batedores e até um helicóptero da PM que sobrevoava o local, para ver o quê lá de cima ninguém sabe. E depois chegou até uma viatura da Rocam (Ronda Ostensiva Cândido Mariano) também chegou para participar da operação. O capitão Barreto também foi acionado para coordenar a “invasão”. Para a ocupação do comitê de Braga, os policiais diziam apenas que haviam recebido uma denúncia de que ali havia propaganda eleitoral ilegal.

Os coordenadores do comitê de Braga que impediram a entrada dos policiais foram ameaçados de prisão. Neste momento, o advogado da coligação, Marco Aurélio Choy, contestou a ação dos policiais, classificada como ilegal e arbitrária. Choy denunciou ainda que eles usaram da força para recolher o material eleitoral que estava sendo distribuído. “Este material é lícito, contém CNPJ, está legal. Eu ouvi um major falando através do rádio da viatura com o coronel Raimundo Roosevelt e, pelo que entendi, foi este mesmo coronel quem deu a ordem para fazerem toda essa ação”, afirmou o advogado.

Comite Braga 4Ainda segundo Marco Aurélio Choy somente a Justiça Eleitoral é que tem poder para apreender qualquer material eleitoral e não a Policia Militar. “Ninguém pode entrar em uma propriedade particular sem autorização. Tem que ter um mandado de busca e apreensão, quando for o caso”, explicou. O advogado ainda relatou que todo o material está seguindo a lei e não entendeu a ação que estava acontecendo – igualzinho eles fazem na casa do cidadão comum quando invadem sem mandado e metendo o pé em porta, né mesmo?

A fiscalização eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foi chamada. Os fiscais do TRE-AM informaram policiais que a ação era ilegal e que eles não tinham autorização para fazê-la.

A Polícia Federal foi acionada e, ao chegar ao local encaminhou todos os envolvidos para a sede da instituição, no bairro D. Pedro, Zona Centro-Oeste, no início da noite para prestarem esclarecimentos, inclusive os policiais do Ronda no Bairro, que da denominação de Ronda no lanche, nos bares, e no mercadinho, agora também podem ser chamados de Ronda no Comitê.

Comite Braga 2