Sem provar nada, policiais militares levam carro de jovem dizendo que era roubado

Um boletim de ocorrência (B.O) foi registrado na manhã desta quinta-feira (29) por Sebastião Peixoto Souza, de 26 anos, após ter seu carro levado por policias. O rapaz relata que um homem que disse se chamar Francisco Marcos Martins chegou a sua residência, localizada na Cachoeirinha, Zona Sul, acompanhado de dois políciais, alegando ser o suposto dono do veículo. Francisco disse a Sebastião que o veículo que ele havia comprado no último dia 20 de abril tinha sido roubado há mais de um ano. No entanto, os policiais e nem o suposto dono do veículo apresentaram um boletim de ocorrência sobre o roubo do veículo.

Segundo Sebastião, os policiais determinaram que ele fosse para o 1º DIP para onde disseram que iriam também acompanhado do suposto dono do carro, Francisco Marcos. Os policiais teriam dito que no DIP fariam uma acareação para esclarecer os fatos, no entanto, Sebastião ao chegar na delegacia descobriu que nem policiais e nem o suposto dono do carro compareceram ao local.

De acordo Sebastião Peixoto, antes de comprar o carro, ele verificou o site da Sinesp, e constatou que o veículo de modelo FOX, placa JXE-7026 não tem registro de roubo.

O Radar foi atrás de quem vendeu o carro para Sebastião Peixoto Souza. Seu nome é Marcos Paulo Andrade, de 41 anos, e ele confirmou ter vendido o veículo para o rapaz. Marcos Paulo conta que comprou o carro de Francisco, o homem que foi acompanhado de dois policiais e levou o carro. Segundo Marcos Paulo, Francisco ficou enrolando para passar o documento para o nome dele. Disse que faria isso após uma viagem, no entanto, isso não aconteceu.

‘’Ele disse que ia viajar, mas depois que voltasse, iria ver como faria essa transferência para o meu nome, e tiraria a segunda via do ‘dute’ (documento único de transferência), mas isso nunca aconteceu. O Francisco tá agindo de má fé’’ acusa Marcos.

Corregedoria

Conforme Marcos Paulo, ele procurou a Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), para denunciar o fato de dois policiais do 23° DIP estarem realizando serviços fora das suas respectivas áreas, quando na verdade a ocorrência deveria ter sido atendida pelos policias da 1º DIP.

”A questão na corregedoria agora é porque os policiais da 23° DIP que não são da área, vieram para realizar esse serviço, pegar um carro e levar alegando que o carro era roubado e não tinha nada de roubo. Essa é a questão agora” finaliza Marcos.

O Radar entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar, para questionar se, a polícia já identificou quem eram os policias que estavam na apreensão do veículo e onde estaria o carro. Indagamos ainda, se Francisco Peixoto Souza, que se apresentou como dono do veículo, havia algum documento que comprovasse que ele realmente era o dono mas até a publicação dessa matéria não obteve resposta.