Sem qualquer anuncio, ex-secretários de Adail e funcionários da Prefeitura de Coari presos em Manaus são transferidos para o município

presos-coari-manaus

Presos em Coari, servidores da Prefeitura e ex-secretários de Adail foram trazidos para Manaus

Sem que tenha sido dada qualquer explicação pública por parte do Tribunal de Justiça do Estado (TJAM) ou da Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM), os servidores da Prefeitura de Coari e secretários de Adail – que se tenha notícia foram exonerados – acusados de fazer parte de uma rede de exploração sexual de menores que estavam presos em Manaus foram transferidos para a penitenciária de Coari.

Os irmãos Anselmo e Elias do Nascimento dos Santos – este último ocupou o cargo de secretário particular do prefeito, a ex-funcionária da Secretaria de Cultura, Alzenir Maia, conhecida por “Show”, o ex-secretário de Terras e Habitação, Francisco Erismar, também conhecido por  Dirinho, que presidia uma associação de mototaxistas em Coari, denominada de “os Pretinhos” e o ex-secretário de Adiministração, que também acumulava o cargo de chefe de gabinete do prefeito, Eduardo Jorge, chegaram ao município por volta do meio-dia desta quarta-feira (14).

A transferência dos presos de Manaus para Coari foi tão sigilosa que nossos RRs (Repórteres-Radar) só conseguiram captar que eles chegaram a Coari de lancha, mas não se sabe nem onde ela atracou. Durante toda esta quinta-feira (15), o Radar tentou fazer contato com a assessoria de imprensa do TJAM para saber de onde partiu a decisão para transferência dos presos, através dos telefones 8415-xx68 e 9468-xx90, mas todos estavam fora da área de serviço, segundo mensagem das operadoras.  O que causa estranheza nessa transferência dos presos é que na época da prisão (02/02/2014), as informações repassadas pela Justiça e pela polícia foram de que a preventiva tinha sido decretada pelo desembargador Djalma Martins, a pedido do Ministério Público do Estado (MPE) porque os acusados estariam coagindo e ameaçando as testemunhas e as vítimas.

Mas, na contramão do pedido de prisão feito pelo MPE e decretado pelo desembargador Djalma Martins levaram os acusados para próximo das vítimas e das testemunhas. E as informações são de que os presos já chegaram a Coari com regalias que inclusive estão causando insatisfação junto aos demais detentos da penitenciária de Coari. Os ex-servidores e ex-secretários de Adail estariam em área separada da carceragem, dependências que chamam de “casinha”, uma área reservada que está mais para moradia do que prisão, e tendo liberdade para sair do presídio.

Um dos exemplos dados, é que o preso, ex-secretário de Administração e ex-chefe de gabinete de Adail , Eduardo Jorge, foi visto circulando naturalmente pela cidade, e estava num ponto comercial denominado “Lanche do Dadá”, que fica no km 2 da Estrada do Aeroporto, bem em frente a casa de seu sogro onde sempre residiu em Coari.