Sem ter onde ficar, acompanhantes de pacientes dormem no chão da maternidade Ana Braga (ver vídeos)

Os acompanhantes estão dormindo no chão, comendo alimentação fria e não utilizam os banheiros pois estão em péssimas condições

Dormindo no chão, recebendo comida fria e sem ter para onde ir, essa é a realizada dos acompanhantes de pacientes da maternidade Ana Braga, localizada no bairro São José I, na zona Leste de Manaus.

Alguns acompanhantes que preferem não se identificar por medo de represálias, relataram ao Radar Amazônico que a comida servida na unidade não é de qualidade. A mãe de uma paciente informou que já encontrou até cabelo na refeição.

“Alimentação tá péssima. Vem pouca comida e além de tudo ainda peguei um cabelo na refeição”, disse.

Além da alimentação, os acompanhantes também relataram falta de suporte do hospital com relação aos pacientes que vêm do interior do estado.

Uma denunciante conta que veio do município de Itapiranga, que fica a 226 km de distância de Manaus, acompanhada sua filha gestante. Acontece que a criança recém-nascida precisou ficar internada, enquanto a mãe da criança foi liberada.

“Eu tô com minha filha operada e ela precisa ficar com o bebê. Mas ela recebeu alta e o bebê não, ele está na UTI. Eles querem que ela (mãe da criança) vá para casa, mas a gente não tem condições de ela ir volta todos os dias”, afirmou.

A mesma situação foi denunciada por outro acompanhante, que veio do município de Presidente Figueiredo, a 120 km de distância de Manaus, e não tem onde ficar enquato aguarda a alta de sua companheira e sua filha.

“A gente não quer ir embora porque não tem como ficar indo e voltando todo dia. A gente faz um apelo por esse albergue”

Os denunciantes fizeram um apelo a Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM) para que providencie um albergue na unidade de saúde.

Além de todos os problemas já citados, o Radar Amazônico teve acesso a imagens que mostram a situação dos banheiros da maternidade, que estão caindo aos pedaços e desabastecidos de papel higiênico, assista:

Procurada, a SES-AM informou por meio de nota que a maternidade Ana Braga vem enfrentando picos “pontuais”de lotação e que no último domingo (02) recebeu muitos pacientes com Hipertensão Gestacional e Síndrome de Hellp, totalizando 48 atendimentos, dos quais 20 foram internações. Sobre a alimentação, a secretaria informou que está “obedecendo todos os protocolos de higiene estabelecidos pela vigilância sanitária”.

Assista a reportagem completa: