Semsa promoverá treinamento sobre doenças prevalentes na infância

A partir das 8h desta segunda-feira (17), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) promoverá um treinamento para facilitadores dentro da Estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (Aidpi), desenvolvida originalmente pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O treinamento será realizado no auditório da Universidade Paulista (Unip), Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, e se estenderá até a sexta-feira (21).

“A estratégia organiza de forma simultânea e integrada, o conjunto de doenças de maior prevalência na infância, ao invés do enfoque tradicional, que busca abordar cada doença isoladamente, como se ela fosse independente das demais doenças que atingem a criança e do contexto em que ela está inserida. O Ministério da Saúde destinou para o Amazonas 30 vagas para essa formação, das quais 15 são para Manaus”, explicou o secretário municipal de saúde, Marcelo Magaldi.

A Aidpi Criança tem por objetivo diminuir a morbidade e a mortalidade de crianças entre dois meses a 5 anos de idade, por meio da melhoria da qualidade da atenção prestada à criança por profissionais de saúde, em especial na Atenção Primária à Saúde.

O objetivo não é estabelecer um diagnóstico específico de uma determinada doença, mas sim, identificar sinais clínicos que permitam a avaliação e a classificação adequada do quadro e fazer uma triagem rápida quanto à natureza da atenção requerida pela criança: encaminhamento urgente a um hospital, tratamento ambulatorial ou orientação para cuidados e vigilância no domicílio.

Serão qualificados profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde (UBS) tradicionais e estratégias Saúde da Família.

Condutas

As condutas de atenção integrada descrevem como tratar crianças doentes que chegam à Unidade de Saúde no nível primário, tanto para a primeira consulta como para uma consulta de retorno, quando verificará se houve melhora ou não. Embora a Aidpi não inclua todas as doenças, abrange aquelas que são as principais causas pelas quais as crianças são levadas à Unidade de Saúde.

Uma criança que retorna com problemas crônicos ou que é acometida de doenças menos comuns necessita de atenção especializada. Da mesma forma, a conduta não se destina ao tratamento de traumas ou outras emergências graves decorrentes de acidentes ou ferimentos, assim como não inclui o tratamento de outras doenças da infância.

Nesses casos, ou se a criança não responde às condutas de tratamento padronizado indicadas, ou apresenta um estado grave de desnutrição ou retorna repetidamente à Unidade de Saúde, será necessário referi-la a um serviço de saúde de maior complexidade (Pronto Socorro da Criança), onde deverá receber tratamento especializado.