Senador Eduardo Braga destina R$ 133 milhões para o combate à COVID-19 no Amazonas

Senador Eduardo Braga durante CPI da pandemia.

Entre os anos 2019 e 2021, foram repassados R$ 233,7 milhões para a saúde do Amazonas, sendo 57% dos recursos destinados ao combate à COVID-19

O senador Eduardo Braga (MDB/AM) destinou, neste período de pandemia do novo coronavírus, R$ 133.123.897,00 para auxiliar nas ações de enfrentamento à Covid-19 nas redes de saúde de Manaus e do interior.

Para este ano foram providenciados mais R$ 16,2 milhões, que correspondem a totalidade de emendas impositivas (de execução obrigatória) a que o parlamentar tem direito de indicar no Orçamento da União para reforçar a saúde no Amazonas.

─ Vamos persistir por mais verbas, pois precisamos garantir ao nosso povo um atendimento digno neste momento difícil, principalmente agora com a ameaça da nova variante indiana e, também, de uma terceira onda da doença. A prioridade é salvar vidas -, destacou Braga.

Investimentos em instituições de Manaus e Interior

Os recursos de 2020 contemplaram 45 municípios e quatro importantes instituições amazonenses:

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-AM – R$ 4 milhões)

– A Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCecon – R$ 4 milhões)

-A Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado
(FMT/HVD – R$ 2 milhões)

-A Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia
(FHemoam – R$ 1 milhão).

Do total encaminhado no ano passado, a Prefeitura de Manaus recebeu R$ 5,4 milhões, por meio do Fundo Municipal de Saúde (FMS), e os investiu na contratação de profissionais de saúde – como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, e no pagamento de pessoal.

Instituições ─ Responsável por pelos exames que detectam a Covid-19 no Estado, num regime de trabalho de 24 horas, o Lacen-AM utilizará o recurso na reforma das instalações adequadas ao laboratório de diagnóstico molecular e na compra de um pipetador automático – equipamento que acelera a liberação dos testes.

A FCecon reforçou os serviços de proteção de pacientes, acompanhantes e servidores contra a Covid-19 com a compra de mais Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), medicamentos para tratamento da doença e kits de teste rápido. O diretor-presidente da Fundação, Gerson Mourão, destacou que as verbas viabilizadas por Eduardo “vieram na hora certa e estão sendo muito importantes para o Estado”.

De acordo com o diretor da FMT-HVD, Marcos Guerra, os R$ 2 milhões recebidos foram aplicados em trabalhos científicos reconhecidos nacional e internacionalmente, e envolveu 120 profissionais da saúde, também na manutenção de laboratórios de pesquisas e na aquisição de novos equipamentos para a instituição.

Já os recursos destinados ao interior, por meio do Piso de Atenção Básica (PAB) e de Média e Alta Complexidade (MAC), foram aplicados na aquisição de medicamentos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Fluviais, além de insumos e custeio de manutenção das unidades de saúde instaladas nas sedes dos municípios.

Assessoria de Imprensa