Senador Omar dá de “cara” na porta, até seu coordenador sumiu, bancada não se reuniu e ele não foi eleito coordenador

Omar Aborrecido 2Fontes do Radar em Brasília contaram que o bom humor do senador Omar Aziz (PSD) não anda lá o mesmo do período eleitoral quando aparecia na propaganda abraçando quem aparecesse pela frente, distribuindo beijos, sorrisos e afagos. Depois da “pernada” dos líderes do PMDB que aprovaram Lei colocando empecilho de tudo que é jeito para criação de novos partidos e fusão de siglas, pondo por terra os planos de Omar, e de seu líder político Kassab, em transformar o “ressuscitado” PL na terceira bancada do Congresso Nacional – quem sabe até segunda bancada desbancando o PMDB – e de fundir o PL, com PSD e PROS, no Amazonas, reunindo a maior bancada do Estado, mais um plano deu errado. Hoje foi mais uma dia daqueles de acabar com o estilo “só lovy” de Omar Aziz.

A reunião da bancada do Amazonas para definir o coordenador no Congresso Nacional estava marcada para as 10hs, no gabinete do deputado Alfredo Nascimento (PR), que já tinha se intitulado coordenador das articulações para içar Omar Aziz a esse posto. Mas, até o coordenador Alfredo Nascimento sumiu. Bisneto, como de costume, também não apareceu. As mulheres da bancada – senadoras Vanessa Grazziotin e Sandra Braga e a deputada federal Conceição Sampaio – nem deram o ar de sua graça.

Hissa Abrahão que está na disputa com Omar pela coordenação da bancada, esse mesmo é que nem deu as caras. Só deu mesmo foi boas risadas ao saber que o senador Omar Aziz estava andado em círculos – ou seria melhor dizer de um lado pro outro – , ladeado por seus fiéis escudeiros, Átila Lins e Pauderney Avelino, mas não encontrou viva alma para sacramentar o que já andavam declarando como fato consumado, sua escolha para a coordenação da bancada, quem sabe até por aclamação, já que contavam com uma “certa na manga” de indicar Marcos Rotta para subcoordenador e, assim, agradar a gregos e troianos – ou seria melhor dizer árabes e não árabes?

Mas, Rotta também não apareceu e questionado pelo Radar sobre ser o “sub” de Omar na coordenação da bancada do Amazonas disse que “nunca teve esse tipo de conversa com o senador” e “se o escolheram para subcoordenador ele sequer foi avisado”. E lá foi-se mais uma estratégia de Omar – igual à da criação do PL – ladeira abaixo porque se Rotta era a carta na manga, jogaram errado, mostraram a carta antes do jogo começar, e logo pra imprensa, e sabe né, jornalista não guarda nem dinheiro que dirá segredo. E esqueceram de combinar o jogo com a outra parte, no caso Rotta.

E a reunião não aconteceu, foi adiada pra semana que vem, e até lá, todo cuidado é pouco – e vamos tratar de jogar direito, né gente? – pra não ter surpresas. Por enquanto, resta ao senador Omar ficar com o gosto amargo de ser quase coordenador da bancada. (Any Margareth)