Sepror doará 16 toneladas de peixes para entidades beneficentes

Foto: Djalma Junior

Nessa segunda-feira (6), foi realizada a despesca de 16 toneladas de peixes de quatro produtores localizados na estrada de Rio Preto da Eva. A ação visa doar o pescado a entidades beneficentes cadastradas junto às secretarias de Estado de Assistência Social (Seas) e de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e ao Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS).

Seas, Sejusc e FPS, juntas, beneficiarão 268 instituições, entidades e associações de Manaus com a distribuição de peixes, frutas e verduras. Cada secretaria vai usar um espaço específico para distribuir os alimentos, obedecendo a horários, datas e distanciamento necessários para evitar aglomeração.

A despesca chegará a 70 toneladas no fim de semana e é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e sua vinculada, a Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS). A ação se dá em virtude da suspensão temporária das Feiras da ADS e do programa “Peixe no Prato”, de forma a evitar aglomeração de pessoas durante a pandemia de Covid-19, conforme determinado em decretos estaduais e federais.

“Durante esta semana, estaremos despescando 70 toneladas de pescado, dos mais variados tipos, desde tambaqui roelo, tambaqui curumim e matrinxã. Vamos estar passando por diversas propriedades nos municípios de Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Manaus, Iranduba e Manacapuru”, afirmou o secretário executivo de Pesca e Agricultura, Leocy Cutrim.

Para os produtores, esta ação é um incentivo à produção e a certeza de que, além de obter o seu sustento, estão ajudando pessoas que precisam se alimentar, conforme afirma Luis Hélder Bonfá, proprietário de uma produção de tambaqui em Rio Preto da Eva.

“Essa atitude do governo é muito bem vinda, ajudando os produtores a se manter ativos, mesmo com essa pandemia, e levando alimento as pessoas que estão precisando dessa doação”, disse Bonfá.

Entenda a despesca – Trata-se do processo pelo qual uma rede é passada dentro do viveiro para retirada dos peixes que possuem peso e tamanho adequados para comercialização (2,5 a 3 quilos). Os técnicos da Sepror avaliam o peixe e determinam quais devem ser retirados, obedecendo critérios estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Com informações da Sepror.