Serafim critica Bolsonaro por apoiar prisão de jornalistas que ‘postam mentiras’

Após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ter defendido, através de uma transmissão ao vivo pelas redes sociais na última quinta-feira (29), a prisão de jornalistas que “publicarem mentiras”, com pena de dois a oito anos de prisão, o deputado estadual Serafim Corrêa (PDB) afirmou que a postura de Bolsonaro remete ao Regime Militar.

De acordo com o parlamentar, o presidente dá motivos para que a imprensa o critique.

“Isso nos remete à época do Regime Militar. É lamentável que o presidente da República tenha essa postura… Cabe ao governo responder à imprensa e não cercear a imprensa. Ele dá motivos para que a imprensa o critique. Bolsonaro é a fonte do seu próprio desgaste, porque reiteradamente diz coisas que não fazem nexo e que não têm pé nem cabeça”, disse.

Na transmissão ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro citou como exemplo notícias na mídia sobre familiares da primeira-dama, Michele Bolsonaro, e da avó da primeira-dama, Maria Aparecida Firmo Ferreira, que já responderam a ações na Justiça. Ainda sobre fake news, o presidente disse que há um discurso errado sobre a divulgação de notícias da Amazônia, que há mais de uma semana está sendo incendiada.

Para Serafim, o presidente foi protagonista da crise da Amazônia no mundo. “Exemplo de equívoco é chamar a crise no mundo inteiro para a questão da Amazônia, quando nós sabemos que, efetivamente, as queimadas aumentaram, e muito. Ao invés de combater as queimadas e propagandear isso, Bolsonaro primeiro disse que não tinham queimadas e depois decidiu combatê-las, mas aí o mundo inteiro já está contra nós. Essa mídia negativa é muito ruim para o Brasil”, disse o deputado.

O parlamentar falou ainda sobre o embate do Brasil com a França, envolvendo o presidente Emmanuel Macron. Segundo ele, o conflito é um equívoco, pois os povos não têm amigos ou inimigos e sim interesses em comum.

(*) Com informações da assessoria de imprensa