Serafim pede mais atenção dos órgãos de controle para fiscalização dos gastos públicos

Foto: Divulgação

Após a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde descobrir uma série de irregularidades e desvios de recursos pela administração pública do Estado, como as realizadas pelo governador Wilson Lima, o deputado Serafim Corrêa (PSB) ressaltou, durante sessão da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que os órgãos de controle devem se atentar para combater eventuais irregularidades.

“Temos uma administração pública, e é bom dizer que isso vem se acumulando ao longo dos anos, totalmente comprometida, não com a boa gestão, mas comprometida com “empresas” especializadas em drenar dinheiro. Diria até que estabeleceram um duto no governo do Estado, que drena recursos públicos em favor dos interesses pessoais”, disse o deputado.

O parlamentar pontuou que, entre as irregularidades encontradas pela CPI, há pagamentos indenizatórios que contradizem as regras elementares da administração pública.

“A empresa diz que prestou o serviço, protocola um pedido de receber determinado valor, alguém atesta e a empresa recebe. Isso contraria todas as regras elementares da administração pública. Esses valores são muito significativos e, ao longo dos anos, aumenta cada vez mais. Nós, da CPI, sem divergências, queremos que essa prática seja interrompida”, afirmou.

Serafim também chamou atenção, incluindo a Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), para a atuação dos órgãos de controle e fiscalização como TCE (Tribunal de Contas), CGE (Controladoria Geral) e MPE (Ministério Público) do Estado.

“Fico perplexo com as falhas dos órgãos de controle – fazendo uma autocrítica nossa, da Assembleia, que é também um órgão de controle do executivo. Nós, poder legislativo, falhamos. Falhou o nosso órgão auxiliar TCE, falhou Controladoria Geral, MPE e, não excluo, o MPF (Ministério Público Federal), TCU (Tribunal de Contas da União) e CGU (Controladoria Geral da União). Todos esses órgãos precisam despertar para as suas responsabilidades e dar um freio de arrumação na máquina pública. Na hora que isso for feito, teremos mais recursos para melhorar a vida do povo do Amazonas”, disse.

(*) Informações da assessoria