Serviço Geológico divulga “Primeiro Alerta de Cheia do Rio Negro 2019”

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), divulgou, na sexta-feira (29), o “Primeiro Alerta de Cheia do Rio Negro 2019”. Segundo o instituto, a cota máxima poderá variar entre 28,49m a 29,19 metros, ficando abaixo da maior cheia registrada na história em 2012, que atingiu a cota de 29,97 metros.

A Defesa Civil de Manaus acompanhou a divulgação dos dados. A gerente de hidrologia do CPRM, Jussara Cury, destacou a importância da margem para estimar a previsão da cheia de 2019.

“Com esse dado, a Defesa Civil pode preparar o atendimento à população”, enfatizou, destacando ainda que, apesar da cheia ser de tamanho considerável, a probabilidade do nível de água normalizar nas outras bacias ainda é alta.

Segundo o secretário executivo de Proteção e Defesa Civil, Cláudio Belém, os trabalhos do órgão já estão com data marcada para serem iniciados. “A Defesa Civil já começa os trabalhos de monitoramento e de cadastramento após o primeiro alerta, então, a partir do dia 8 de abril, as ações serão intensificadas nas áreas vulneráveis na cheia deste ano”, afirmou.

O secretário informou ainda que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está em parceria com a Defesa Civil fazendo as orientações necessárias com relação às doenças e às águas paradas nesse período, para que a equipe possa fazer a parte de prevenção junto a comunidade que fica vulnerável pelo alto nível do rio”, explicou Belém.

Planos de ações

Na ocasião, a Defesa Civil divulgou em seu plano de ação que já vem realizando, desde o início do ano, o monitoramento das possíveis áreas de alagação devido ao fenômeno.

Estão programadas ações de construções de pontes, cadastro de famílias, doações, Auxílio-Aluguel, limpeza e descontaminação. Os trabalhos serão realizados em ação conjunta com as secretarias municipais da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semasc), Infraestrutura (Seminf), Limpeza Urbana (Semulsp), Semsa, Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Guarda Municipal e demais secretarias envolvidas na Operação Cheia 2019.

De acordo com o relatório do Departamento de Operações, 15 bairros da capital serão afetados pela cheia: Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa, Puraquequara e zona rural ribeirinha.

Com informações da assessoria da Defesa Civil.