Servidores da Ana Braga protestam para cobrar salários atrasados

Aproximadamente 50 enfermeiros e técnicos de enfermagem da maternidade Ana Braga, localizada no bairro São José 1, na zona Leste de Manaus, se uniram nesta quarta-feira (11) e realizaram um protesto em frente a unidade para cobrar o que eles dizem ser quatro meses de salário atrasado.

Os trabalhadores protestaram com gritos, aplausos e cartazes de reivindicação. Por conta do aglomerado de pessoas no meio da avenida, o trânsito da área ficou lento. Além disso, uma equipe do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) esteve no local para atuar na organização, juntamente com a Polícia Militar.

O Radar entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) que, por meio de nota, esclareceu que a manifestação foi por um período determinado e não atingiu todos os técnicos de enfermagem, não chegando a afetar os serviços da unidade.

Além disso, a direção da maternidade organizou um reordenamento de funcionários para evitar prejuízos ao atendimento.

Acordo

Nessa segunda-feira (9), foi homologado na Justiça do Trabalho um acordo que garante o pagamento de cerca de R$ 9,8 milhões para técnicos de enfermagem e enfermeiros funcionários de empresas terceirizadas que prestam serviços nas unidades de saúde da rede estadual. O valor que será pago é referente aos salários de outubro e primeira parcela do 13º salário.

Veja nota da Susam na íntegra

A Secretaria de Estado de Saúde esclarece que a empresa Coopeam, a qual pertencem os técnicos da maternidade Ana Braga, não fez parte do acordo para pagamento de terceirizados homologado pela Justiça do Trabalho na última segunda-feira (09/12), por se tratar de uma cooperativa composta por sócios e não empresa.

Na audiência, a Coopeam foi orientada a procurar a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e a Susam para a elaboração de um acordo em separado, para que a empresa possa receber e pagar seus sócios.

A Susam e a PGE aguardam a empresa para a construção do acordo que vai possibilitar o pagamento.