Anúncio

Servidores da Câmara Municipal de Manaus comemoram pagamento da URV

Carlos Onety, servidor da câmara Foto: Djalson Leão

Os servidores efetivos da Câmara Municipal de Manaus (CMM) receberam, nessa sexta-feira (15), o pagamento de Unidade de Referência de Valor (URV) referente às perdas salariais dos servidores nos últimos anos. O pagamento, com recursos próprios da Casa, é de R$ 1 milhão e foi muito comemorado pelos colaboradores com carreira consolidada na Casa Legislativa e servidores inativos. Fruto de um acordo judicial, o pagamento do valor foi possível graças às medidas de austeridade adotadas pelo presidente da CMM, vereador Wilker Barreto (PHS).

“É com enorme satisfação que nossa gestão anuncia o pagamento do URV dos servidores efetivos, um direito deles. Falo ‘nossa’ porque sem a união e o trabalho dos servidores para que todas as medidas e programas de economicidade dessem certo, essa conquista não seria possível. Nossos efetivos merecem”, comemorou o presidente da CMM.

A constatação do pagamento veio em tom de agradecimento do técnico legislativo e quinto funcionário mais antigo da Casa, Carlos Onety. “É um dia muito bacana para todos os funcionários. Vai ficar apenas um saldo ainda, mas só temos a agradecer ao presidente Wilker Barreto. Desde que ele assumiu a presidência da Câmara, tem valorizado nós servidores”, agradeceu Onety, que trabalha há 40 anos na Casa.

A conquista do benefício também foi comemorada pela técnica legislativa, Paula Francineth. A servidora está há 33 anos na CMM e disse estar satisfeita com a valorização. “Estávamos sem receber esse benefício durante muitas legislações de presidentes. O Wilker, na gestão dele, tem olhado para os servidores efetivos, nós que fazemos esta casa funcionar. É muito legal o que ele tem feito”, declarou.

Desde o início de sua primeira gestão como presidente, Barreto adotou medidas que colaboraram para que o pagamento fosse realizado sem qualquer sangria nas finanças da CMM. “Cortamos o leite do cafezinho, baixamos em 50% as diárias, cancelamos contratos e revisamos outros. Todas essas medidas amargas ajudaram a controlar a dívida da Casa e garantir medidas vitoriosas como o Plano de Cargos, Carreira e Salários dos servidores e, agora, o pagamento do URV”, disse Barreto.

Valorização

Recentemente, 80% dos colaboradores efetivos da CMM que somavam tempo de aposentadoria optaram por encerrar carreira. Isso porque o Programa de Aposentadoria Voluntária Incentivada (Pavi) garantiu a todos uma aposentadoria com o recebimento de todos os benefícios previstos em lei. Os que não aderiram já estão em processo de documentação.

A redução significativa na folha e no quadro pessoal da CMM abriu, inclusive, a possibilidade de chamamento de concursados de 2003, medida iniciada esta semana com a atualização cadastral dos aprovados pela CMM.

Fonte: Diretoria de comunicação da CMM