Servidores da Educação do AM farão protesto contra mudança no pagamento dos salários

O Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) convocaram professores e profissionais da Educação para um protesto na terça-feira (15) às 8h em frente a sede do Governo do Amazonas, na Compensa, contra a decisão do governador Wilson Lima (PSC) de alterar os dias de pagamentos dos salários dos servidores do Estado.

Na última sexta-feira (11) o governo informou as datas de depósitos das parcelas do 13º salário dos servidores e também anunciou que a partir de novembro e dezembro deste ano os salários serão pagos somente no mês subsequente ao trabalhado. A mudança valerá para todo o ano de 2020.

Conforme a nova programação, os salários referentes ao mês de novembro, por exemplo, serão pagos nos dias 3 e 4 de dezembro; e os salários de dezembro serão pagos nos dias 3 e 4 de janeiro de 2020.

Presente de grego

Para a professora Ana Cristina Pereira Rodrigues, presidente do Sinteam, o governo promove um desmonte dos ganhos e benefícios do servidor público. “Infelizmente nada temos a comemorar e muito a refletir. Ganhamos um presente de grego: o atraso de salário do seviço público e nisso incluindo os funcionários da Educação. O governo precisa rever isso”, afirmou Ana Cristina.

O Sinteam protocolou na última sexta um ofício pedindo informações do Governo do Estado sobre a mudança na data de pagamento dos servidores públicos estaduais.

No documento o Sinteam defende que os trabalhadores organizam sua “vida financeira de acordo com o calendário de pagamento do funcionalismo público aprensentado pelo Estado no início do ano”. Veja abaixo.

Em nota o Governo do Estado defendeu que a mudança no calendário de pagamento está amparada na legislação. “A medida faz parte do processo de organização das finanças do Estado e atende o que prevê a legislação quanto ao prazo de pagamento de salários”, diz a nota.

Ofício do Sinteam