Servidores da Saúde fazem ato de protesto em frente ao Hospital João Lúcio

Servidores da Saúde fazem ato de protesto em frente ao Hospital João Lúcio 1

Em mais um ato de protesto contra a crise no sistema de saúde pública do Amazonas, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e profissionais da área, aprovados em concurso público, denunciaram hoje (7) em frente ao Pronto Socorro João Lucio (Zona Leste de Manaus), a falta de estrutura para atendimento, que coloca em risco a vida da população. O deputado estadual Luiz Castro (Rede) esteve presente à manifestação em apoio aos profissionais da saúde.

Representando o Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), a médica Patricia Sichar reafirmou a situação crítica nas unidades de saúde de Manaus, onde os profissionais estão com salários atrasados há três meses. “Faltam medicamentos, anestésicos, equipamentos e as cirurgias estão sendo canceladas causando danos irreversíveis à vida dos pacientes”, denunciou.

O deputado Luiz Castro que há vários anos vem acompanhando as demandas de saúde no Amazonas, disse que o Governo do Estado precisa reconhecer a crise que se instalou na rede estadual de saúde e agir com responsabilidade, buscando soluções urgentes para impedir que as pessoas percam a vida nas filas de cirurgia, sem atendimento.

Castro apontou a situação da Fundação Cecon como uma das mais graves, pela falta de medicamentos usados em quimioterapia. “O câncer é uma doença agressiva, que não espera, e muitos pacientes estão em estado desesperador, com suas famílias fazendo cota para comprar medicamentos em clínicas particulares”, denunciou.

No PS João Lucio, segundo o deputado, as condições do atendimento também são precárias pela falta de leitos e equipamentos importantes para realizar diagnósticos, como tomógrafos.

Concursados

Os profissionais aprovados em 2014, em concurso público realizado pela Secretaria Estadual de Saúde (Susam), também denunciaram o Governo que até hoje não apresentou um cronograma de nomeação para os cargos a que tem direito. De acordo com Jossimar Farias, mais de 11 mil aprovados para as áreas médica, administrativa, jurídica e técnica aguardam nomeação.