Sessão da Assembleia é encerrada por “problemas técnicos”; veto à Lei do Gás não foi votado e pauta segue trancada

No dia em que a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam)  deveria analisar e votar o veto do Governo do Estado a Lei 153/2020, a chamada Lei do Gás, que abre o mercado do gás natural no Amazonas, a transmissão ao vivo da sessão virtual, nesta quarta-feira (10), nas redes sociais, foi interrompida “por problemas técnicos” e não será retomada.

A suspensão da sessão aconteceu quando finalmente deveria ocorrer a votação do veto da Lei do Gás, na qual há indícios de, pela primeira vez, os deputados de oposição votarem junto com a base governista. A proposta, de autoria do presidente da Aleam, deputado Josué Neto (PRTB) foi aprovada no início de abril pela Casa e foi vetada um mês depois pelo governador Wilson Lima, alegando inconstitucionalidade e que a medida é prerrogativa do Governo Federal.

A transmissão da sessão desta quarta, que iniciou por volta das 9h15 e que estava sendo presidida pela vice-presidente da Casa, deputada Alessandra Campêlo (MDB), devido a ausência do presidente Josué Neto (PRTB), ocorreu com diversas falhas, aparentemente no sistema de transmissão e/ou na internet da Aleam. Por pelo menos duas vezes a sessão foi interrompida.

Na terceira vez, a transmissão caiu e não houve mais retorno até o presente momento. Segundo a assessoria de imprensa da Casa Legislativa, “por problemas técnicos, fica inviável retomar a sessão”.

Antes da transmissão ser interrompida, chegaram a fazer pronunciamento os deputados Adjuto Afonso (PDT), João Luiz (Republicanos), Dermilson Chagas (Podemos) e Serafim Corrêa (PSB).

A assessoria da Aleam não respondeu aos questionamentos da reportagem sobre quais seriam esses problemas técnicos e nem se a sessão será reposta na sexta-feira (12), já que a sessão ordinária desta quarta não ocorreu na íntegra.