Anúncio Advertisement

Sidney Leite denuncia que Governo dará “calote” em fornecedores

O deputado estadual Sidney Leite (PSD), denunciou, nessa quinta-feira (13), na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) que os fornecedores do Estado levarão um “calote” do Governo e muitos empenhos deverão ser anulados para que o Estado possa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“A situação do Estado está muito grave e, isso foi dito por técnicos da Secretaria de Fazenda em audiência pública nesta casa, de que a folha de pagamento do Estado já extrapolou o limite prudencial da LRF e, isso, sem considerar os terceirizados da saúde de outras áreas que prestam serviço ao governo”, disse o deputado.

Para o deputado, o governador eleito Wilson Lima (PSC) vai receber o Estado com um rombo nas contas públicas bastante significativo e, alertou que, quem tem dinheiro a receber do Estado vai bater na porta do novo governador, a partir de janeiro de 2019.

“Não dá mais para aceitar isso como se nada estivesse acontecendo. Temos que acompanhar quantos empenhos e pagamentos o governador eleito irá fazer e quais condições, se serão por reconhecimento de dívida ou se vai abrir processo para verificar e apurar se realmente essas despesas foram realizadas e que modo foram feitas”, disse o deputado.

Déficit

No início deste mês, durante visita a ALE-AM, o governador eleito Wilson Lima informou que receberá o Estado com um déficit de mais de R$ 1 bilhão nas contas públicas. “Estamos fechando o relatório da equipe de transição para ser divulgado para Assembleia Legislativa, imprensa e a sociedade. Mas sabemos que vamos terminar o ano com um déficit acima de R$ 1 bilhão e tecnicamente o gasto com pessoal já ultrapassado. O teto máximo desse gasto é de 49%, e quando ultrapassa o Governo do Estado fica inviabilizado de fechar novos convênios e de receber alguns repasses. Tudo isso é um indicativo de que devemos começar um governo com enxugamento na máquina para que ela possa ser eficiente e as contas possam ficar equilibradas”, disse o governador eleito.

Em nota, o Governo do Estado afirmou que as finanças públicas estão equilibradas e rebateu os dados apresentados.

Com informações da assessoria do parlamentar.