Sinais captados pelo Radar: teoria da conspiração e estratégia de ataque de Adail

O Radar postou, ontem (20), parte de uma entrevista do prefeito Adail Pinheiro à Radio Tiradentes, transmitida em cadeia de rádio em Coari, e daqui a pouco, vai postar a entrevista na íntegra. O entrevistador é ninguém menos que o ex-secretário de Comunicação da Prefeitura, Valcione Tavares – eterno locutor de rádio em horários pagos pela Prefeitura – um nome que apesar de ligado a área de comunicação quase nem se houve falar quando se trata da administração de Adail Pinheiro. Um exemplo disso, é que nem nas matérias oficiais da reforma administrativa, feita no início do mês por Adail Pinheiro, seu nome aparece deixando a cadeira de secretário de comunicação, e partindo para a ocupação de empresário do ramo de comunicação, com a criação de uma empresa, a VTR Comunicações – essa é mais uma daquelas estórias de Coari que contaremos com riquezas de detalhes, inclusive os sórdidos. Na entrevista, Adail  Pinheiro, cria a teoria da conspiração não só contra ele, mas “contra o município de Coari, contra as famílias de Coari”, estratégia da vitimização onde se diz perseguido “ por “inimigos de Coari”, gente de Manaus e de Brasília.

Ameaça

E Adail decidiu assumir o discurso – o mesmo usado por seu advogado Alberto Simonetti Neto na entrevista do Fantástico – de que todas as denúncias não passam de perseguição política que estaria sendo promovida pelo segundo colocado nas eleições de 2012, o empresário Raimundo Magalhães. Nesse caso, a estratégia foi partir para a intimidação, dizendo ter “coisas concretas” contra Magalhães e ameaçando: “Meu amigo, pare antes que aconteça outros desdobramentos”. E o pessoal aqui do Radar ficou aqui a matutar sobre essas “coisas concretas” de um tempo em que Adail era prefeito e o empresário era fornecedor de combustível da prefeitura. E, aqui no Radar, foi quase um coro de pensamento, e de comentários: Vixi, será que tá tudo junto e embolado? Ah! vai, conta que a gente quer saber!?!?!?

Até parece…

Até parece que tudo nesse País, e quiçá no mundo, não é uma questão política, ou será que alguém vai achar que nas denúncias contra o PSDB de São Paulo não tem nenhuma digital do PT? Assim como nas denúncias do Mensalão, não teve nenhum dedinho dos tucanos? Mas, desde quando interferências políticas desqualificam denúncias, caso sejam verdadeiras? Então, será que dá pra Justiça – o que poderia ter sido feito em seis anos – julgar logo se há inocência ou culpa? Será que dá?

Recado pra Braga

E teve muita gente levando um susto com a matéria postada bem na “cara” do principal blog de Coari, denominado Coari em Destaque – que publica todos os atos oficiais do prefeito ao invés do site da Prefeitura -, de propriedade do ex-chefe da Casa Civil e, após reforma administrativa, secretário de Comunicação, o cientista político Daniel Maciel. “Eduardo Braga declara apoio publicamente a Adail Pinheiro em Coari”. Mas, quando se acessa a matéria, vê-se que ela é da eleição passada, 2012, onde Adail veiculou vídeo, em um telão, com uma mensagem de Braga de apoio a sua candidatura. Coisa esquisita né? Mas, não pro Radar que capta até pensamento. Nas entrelinhas, Adail parece mandar recado cobrando apoio antigo. Será que foi jogado n’água?

Pra quem saber ler…

Sabe aquele ditado: Pra quem sabe ler pingo é letra. Pois, o povo aqui do Radar é especialista em decifrar onde estão os pingos que são letras. E nas letras de uma matéria, em um dos principais sites da capital, onde se lê “Manaus, capital da pedofilia?”, está escrito nas entrelinhas que Adail não vai ficar sozinho nessa estória de denúncias sobre casos de pedofilia. Será que é pra colocar todo mundo em polvorosa, pra que haja uma “ operação abafo o caso”?