Sindicalismo ou politicagem?

Será que eu tô meio abestalhada ou esse cara num sabe o que quer? Cheguei a pensar isso nas várias vezes que via as entrevistas dadas inclusive para o Radar, pelo presidente do sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira. Uma hora Givancir falava que o percentual de reajuste reivindicado pelos rodoviários era de 3,5%, outra hora de 3%, chegou até a ser de 1,5%… e o sindicalista sempre dizendo que os empresários não queriam dar era nadica de nada.

Mas, no dia 30 de maio, numa reunião intermediada pela prefeitura, os empresários quiseram dar 6,5%, o que não foi aceito porque agora, segundo Givancir Oliveira, o reajuste exigido pelos rodoviários era de 10%. E, enquanto isso, a greve persistindo e a população sendo penalizada. E euzinha aqui querendo saber, afinal, o que quer Givancir Oliveira? Até porque a turma aqui no Radar tem reproduzido fielmente as reivindicações de professores, policiais, servidores da saúde… das diversas categorias de trabalhadores.

Mas, de repente, e depois de uma onda de violência provocada pela revolta da população pela falta de ônibus, Givancir Oliveira, em reunião com o Ministério Público do Trabalho, Sinetram e procuradoria da Prefeitura de Manaus, prontamente aceita 5% de reajuste, ou seja, 1% a menos do que os empresários já tinham oferecido para a categoria. E, ainda joga a responsabilidade do acordo feito por ele, nas costas da imprensa que, em suas palavras, “não ajudou em nada”.

E lá me perguntei de novo: afinal, o que quer Givancir Oliveira? Primeiro, ele deveria dizer claramente de qual imprensa ele está falando. Porque não cita os nomes dos veículos que classificaram os rodoviários de vagabundos e disseram que ele (Givancir) deveria ser preso? Por que não diz que os veículos foram A Crítica – ler apresentador Wilson Lima – e a Rádio Tiradentes – ler Ronaldo Tiradentes – , ao invés de colocar todo mundo na vala comum, inclusive a imprensa que fez seu trabalho com isenção e deu todo espaço aos rodoviários, inclusive para criticar a própria imprensa? Tá com medo de quê?

E como aqui no Radar, como diz o povão, o pau que dá em Chico, dá em Francisco, falamos da lambança de empresários que pressionam pra aumentar a passagem de ônibus alegando que estão tendo prejuízo, mas não pegam suas trouxas e vão embora de Manaus. Mas também acreditamos que o acordo trabalhista feito pelo Sr Givancir foi arrego por medo de ser preso e porque já tinha conseguido seu intento de fazer política em período eleitoral onde um dos pré-candidatos a deputado estadual é seu irmão, o vereador Jaildo dos Rodoviários (PC do B).

Se bem que, há quem diga, que o candidato da família de Givancir a deputado estadual é o outro irmão, Josildo dos Rodoviários que também é diretor do sindicato. E Givancir ainda tem mais um irmão em cargo de direção do sindicato dos rodoviários, conhecido por Mossoró. Ou seja, uma ação em família. E como é o nome disso, meu povo? Sindicalismo ou politicagem?