Sindicalista solta o verbo na reunião do Codam: ‘Na AM-010 não é nem mais buraco, é vala’ (ver vídeo)

Ricardo Miranda, utilizou seu tempo de fala para cobrar mais participação do governador e do prefeito de Manaus nas reuniões

Foto: Fieam

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria do Estado do Amazonas (Ftieam), Ricardo Miranda, ‘soltou o verbo’ durante a 295ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), realizada nessa quarta-feira (20). Na ocasião, após a fala do presidente da Fieam, Antônio Silva, em que se discutia sobre os impactos e incentivos para a Zona Franca de Manaus, o sindicalista Ricardo Miranda, primeiramente cobrou a presença do governador Wilson Lima (União Brasil) e do prefeito David Almeida (Avante) e mais participação dos chefes do Executivo estadual e municipal nas discussões do Codam. Ainda durante seu discurso, ele citou a falta de prioridade de Wilson Lima em relação à infraestrutura da rodovia AM-010, que está tomada de “valas”.

A reunião do Codam foi realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam). Segundo Ricardo Miranda, a participação do governador seria importante para que pudesse dizer, inclusive, quais seriam as suas ações para resolver a questão da redução de 25% da alíquota do IPI que é uma grave ameaça para a competitividade da ZFM. O representante dos trabalhadores também reclamou do descaso com a AM-010, afirmando que isso deveria ser uma prioridade de Wilson Lima, pois, como já noticiado amplamente pelo Radar, a rodovia está em péssimas condições de trafegabilidade.

“Eu queria, secretário, que o governador estivesse presente nesta reunião, e o prefeito também. Sabe porquê? Tem que saber da palavra deles quais seriam as diretrizes que o governador têm. Para ficarmos sabendo o que ele pode fazer e o que deve fazer. Para que esse Conselho faça uma avaliação profunda daquilo que o governador tem em prol do povo do Amazonas. A mesma coisa o prefeito, por mais que ele tenha um representante ativo nessa reunião, ele tem que vir. Nós temos que ter esses dois representantes sem dúvida nenhuma com as suas diretrizes e metas para a Zona Franca de Manaus”, disse Miranda.

Em seguida, o representante demonstra sua preocupação em relação à ZFM e continua: “Não podemos nem empatar, nós temos que ganhar nessa queda de braço política pela Zona Franca de Manaus. Conversei com alguns diretores de empresa, uns a favor e outros contra. Por isso que a fala do governador e do prefeito nesse contexto seria muito importante”.

Em seguida, Ricardo questionou o descaso com a rodovia AM-010. “É uma vergonha. Pelo tanto de buraco que tem na rodovia entre Manaus e Itacoatiara. Não é nem buraco, é vala. Isso era pra estar sendo resolvido há muito tempo. Um lado importante para o desenvolvimento do interior do estado, pois a partir da estrada é que o caboclo do interior produz. Esperamos sem dúvida nenhuma que a chuva pare um bocado para que os nossos governantes comecem a fazer um trabalho importante em prol do desenvolvimento do Estado do Amazonas”.

Sobre o Codam

O Codam é um órgão colegiado, vinculado ao gabinete do Governador do Estado e tem funções de assessorar Wilson Lima nos assuntos referentes ao desenvolvimento econômico e social, além de atuar na formulação da política de incentivos fiscais e extrafiscais do Estado.

A reunião do Codam foi presidida pelo secretário da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Angelus Figueira, mas também compareceram o presidente da Fieam, Antônio Silva; o superintendente da Zona Franca de Manaus, Algacy Possin; Radi Gomes Júnior, do Sine-Manaus; Luis Carlos Carvalho Leite, chefe de tributação da Sefaz; o deputado estadual Felipe Sousa; e o deputado federal Marcelo Ramos.

Também estiveram presente Wilson Périco, presidente Cieam; Roberto Moreno, presidente Aficam; Leonilson Magalhães, assessor da Cema; Malvino Salvador, do Idam; Laércio Costa Cavalcanti, da Afeam; Muni Lourenço, da Faea; Jorge de Souza Lima, presidente da ACA; Jair Aguiar Souto, presidente da AAM; Enio Ferrarini, da Fecomércio e o coordenador do Comitê de Assuntos Tributários Estratégicos, Nivaldo das Chagas Mendonça.