Sindicato dos profissionais da educação de Itacoatiara denuncia falta de respeito e truculência da administração de Mario Abrahim (ver vídeo)

Os membros do Sindicato dos professores de Itacoatiara (distante 270 km de Manaus) denunciaram, em um vídeo publicado na internet, que estão sendo vítimas de falta de respeito e humilhações por parte do prefeito do município, Mário Abrahim (PSB). A categoria afirma que há meses tenta um diálogo com o prefeito para tratar de perdas salariais da categoria e vem sendo tratada com desdém e, quando enfim é marcada uma reunião com o prefeito para última sexta-feira (26), além de Mario Abrahim estar ausente, mais uma vez ignorando os professores, os pofissionais da educação ainda tiveram que enfrentar a truculência do procurador do município Ramon Gaggy. (veja vídeo no final da matéria).

A atual presidente do Sindicato, Professora Valdenice Furtado, esclareceu que busca uma reunião com o prefeito há mais de três meses, e conta que ao chegar na sede da prefeitura, o prefeito decidiu não atendê-los e foram encaminhados, mais uma vez, para falar com o procurador Ramon, que segundo eles os tratou com desrespeito. Indignados com a situação, os professores protestaram em frente a Prefeitura, reivindicando respeito e valorização dos seus cargos.

‘’Estamos desde de janeiro tentando uma conversa com o Executivo por conta das nossas reivindicações. Desde então, já conversamos com a secretária do prefeito e até mesmo com o Dr Ramon, procurador do município, e não fizeram nada. Por isso decidimos não participar desta reunião, onde inclusive fomos muito mal recebidos pelo Ramon, ele destratou esta diretoria’’, disse a professora

Valdenice relata ainda, que foi marcado uma reunião com o prefeito no dia anterior ao acontecido, porém ele não compareceu, assim como não compareceu na sexta-feira (26), deixando a reunião novamente na responsabilidade do procurador.

O intuito principal dos professores, é que as autoridades busquem soluções para os problemas enfrentados desde o início do ano, como o corte do “Auxílio Localidade” e o congelamento dos processos de mudança de nível de classe.

‘’Um dia que se passa para os outros pode parecer normal, mas essa classe está sentindo no bolso o peso dessas retiradas de direito. Hoje todos nós da associação estivemos presentes, menos o prefeito’’. Defendeu o advogado do sindicato, Marcondes Martins.

O sindicato explicou que o ‘’Auxílio Localidade’’ é uma gratificação para os servidores da área administrativa da Secretaria Municipal de Educação (Semed), lotados em comunidades da zona Rural ou em áreas classificadas como ‘’Localidades Especiais’’.

‘’A reunião se fazia urgente, já tínhamos falado com o procurador ontem, e hoje nos foi informado que o prefeito estaria, viemos hoje e o prefeito nos encaminhou ao procurador novamente, mas nós entendemos que quem tem competência para tratar a situação é o prefeito.’’

Por fim, o advogado Marcondes disse que também esteve presente para participar da reunião e pede que o prefeito tome uma posição.

‘’Nós queremos acreditar que o prefeito não vai compactuar com essa atitude do procurador Ramon Gaggy, pois para todos os efeitos, o procurador representa você. Não é cesse tipo de comportamento que queremos para uma administração, mas sim uma administração que dialoga com qualquer classe. Estamos esperando seu posicionamento para podermos dialogar e resolver as nossas reivindicações’’, concluiu o advogado.