Sindicato dos professores anuncia paralisação para repudiar retorno das aulas presenciais

fotos: Geovani Leite

O Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Pública de Manaus (Asprom Sindical) anunciou que aprovou a realização de uma paralisação de advertência programada para esta quinta-feira (29). A paralisação é uma forma de repudiar o retorno precipitado das aulas presenciais definidos pelas Secretarias de Educação Estadual (Seduc) e Municipal (SEMED) para início em 18 de maio.

A paralisação ocorrerá de forma virtual, interrompendo o trabalho remoto dos professores, nos três turnos de trabalho, iniciando às 7h e finalizando às 22h. Os profissionais da Educação temem que mais professores morram em decorrência da Covid-19, levando em consideração que dezenas de pessoas estão morrendo no Amazonas pela doença.

Nesta quinta-feira, o Asprom Sindical realizará atividades virtuais que contarão  com a participação dos profissionais da Educação, onde debaterão os problemas relacionados ao retorno precipitado das aulas presenciais nas escolas públicas, que está sendo determinado pelos Governos Estadual e Municipal de Manaus, assim como o atraso nas datas-bases da categoria e a necessidade de melhorias nas condições do trabalho remoto.

A Paralisação de Advertência tem o objetivo de mostrar aos Governos a necessidade de diálogo, e que seja ouvido o apelo dos Educadores em relação à vacinação imediata da categoria, e em ralação à  solução dos problemas da Educação Pública no Amazonas.

Caso não haja diálogo por parte dos Governos, os trabalhadores da Educação estão dispostos à aprovarem indicativo de greve em sua próxima Assembleia Geral Extraordinária.

(*) Com informações da assessoria