Sindicato dos professores de Manaus anuncia greve até aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19

Foto: Rafa Braga

O Sindicato dos Professores e Pedagogos das de Manaus (Asprom Sindical) informou por meio de nota que foi aprovada a greve sanitária contra o retorno das aulas presenciais, até que seja aplicada a segunda  dose da vacina contra a Covid-19. As aulas presenciais na capital e no interior do Amazonas retornaram nesta semana mesmo com o risco de uma terceira onda da Covid-19.

A greve iniciará a partir de segunda-feira (7), conforme o Asprom Sindical, na próxima semana, os professores não irão para as escolas.

“Informamos que, infelizmente, a greve está sendo necessária pelo fato dos Governantes não  terem se disposto a dialogar com o Sindicato sobre as reivindicações que estão sendo apresentadas para planejamento seguro do retorno.”, diz trecho da nota.

Conforme a nota, o Sindicato está reivindicando que os professores recebam as duas doses da vacina contra a Covid19; que sejam feitas reformas nas janelas das salas de aulas, para circulação de ar natural, conforme exigência da OMS e programa de controle e fiscalização rígido do transporte coletivo urbano.

“Afirmamos que nenhum protocolo de segurança é capaz de proteger as vidas dos alunos e dos professores dentro das salas de aulas e das escolas. Que a propaganda dos Governos é mentirosa”, diz a nota do Sindicato.

Por fim, o Asprom Sindical afirma que aguarda a abertura de um diálogo com o Governo do Estado e caso sejam atendidas as reivindicações da categoria a greve será suspensa, enquanto isto, os professores irão continuar realizando as aulas virtuais novamente.

Veja a nota da ASPROM na íntegra