Sindicatos e movimentos sociais fazem protesto contra reformas trabalhista e previdenciária do Governo Temer

O Radar esteve durante toda a manhã na concentração da manifestação dos sindicatos contra as reformas trabalhista, previdenciária e de terceirização propostas pelo Governo Federal, que em Manaus começou por volta das 8h, na praça Heliodoro Balbi (antiga Praça da Polícia), na avenida Sete de Setembro, no centro da capital.

Por lá estão reunidas todas as centrais sindicais da capital e movimentos estudantis, mas são os professores que se fazem maioria, exibindo placas e faixas pedindo respeito e protestando contra a reforma da previdência por causa, principalmente, do tempo que um trabalhador levará para se aposentar,  o que deve manter em sala de aula docentes em idade avançada.

Agentes de trânsito organizam do fluxo dos veículos no entorno da praça

A polícia militar também está acompanhando a manifestação

Representantes da força sindical exibiram placas com as fotos dos deputados como Átila Lins, Arthur Bisneto, Pauderney Avelino e Silas Câmara, que votaram a favor da reforma trabalhista

Manifestantes bloquearam a avenida Sete de Setembro algumas vezes

Professores da escola Abílio Alencar, na AM 010, onde ocorreu um arrastão no início dessa semana, também protestavam pedindo segurança para a zona rural da cidade

 

Na manifestação deu para notar presença maciça dos professores

Muitas bandeiras do Brasil foram vistas no protesto

“Não à reforma da previdência”, diz o manifestante

Texto: Sérgio de Andrade (Radar)

Fotos: Erik Oliveira