Só o Radar captou pra você o jogo eleitoral de Omar, Braga e Amazonino

Omar, Braga e Amazonino

Como diz o lema do Radar “o que o povo quer ler e muitos querem esconder”, para os nossos leitores a gente conta tudinho que está acontecendo nas “coxias” da corrida eleitoral para a Prefeitura de Manaus – afinal aqui a gente não guarda nem dinheiro que dirá segredo, né mesmo gente? Nos últimos dias, o senador Omar Aziz (PSD) vinha se sentindo o dono do jogo eleitoral mexendo de forma hábil e solitária as peças do dominó – a gente usa o exemplo do dominó porque daqui a pouco lá vai aparecer o Amazonino, tá meu povo! E desse jogo ele entende, né mesmo??

Omar está por trás de mais de uma candidatura à prefeitura de Manaus. Com isso enfraquece todos e fortalece a passagem de Artur Neto para o segundo turno, algo que corria o risco de nem acontecer, já que o povo anda querendo dar um passa fora em tudo que é político que está no poder, principalmente os “carreiristas” – aqueles que estão há anos em cargos políticos. E isso piora numa Manaus que é historicamente de oposição, onde me lembro apenas de um candidato reeleito, Alfredo Nascimento, no ano de 2000 – se a memória tiver me traído, vocês me lembrem tá?

E, parafraseando uma fonte do Radar também chegada a um jogo de dominó, “Omar tinha certeza de onde estava a carroça de branco e a carroça de sena” – pedras marcadas de maior e menor pontuação no jogo – mas o senador Eduardo Braga (PMDB) resolveu mexer as pedras do dominó, embaralhando tudo. E, logo com a ajuda de quem? De Amazonino (PDT).

A “disputa” da vez é a de vice do pré-candidato à prefeitura de Manaus, deputado federal Marcos Rotta (PMDB). A “pedra marcada” era a também parlamentar federal Conceição Sampaio (PP) com as “bênçãos” de seu padrinho político, o empresário da Comunicação, Francisco Garcia, dono da TV Band. A deputada federal tem uma das densidades eleitorais das mais sólidas no meio político e é representante da maioria do eleitorado no Estado e no País, que é de mulheres. Mas, surgiu um lance de última hora, que dá conta que Conceição Sampaio não iria querer ser vice, assim como o fato de que Braga teria decidido que seria um grande lance ter uma possível dupla de Rotta com Hissa Abrahão no jogo eleitoral.

As pesquisas de opinião pública para consumo interno mostram que Hissa é um bom candidato a prefeito, mas sua rejeição chega a 20%, um percentual considerado alto, quase semelhante ao de Artur que chegou a ultrapassar os 22% de rejeição nas últimas pesquisas. Esses níveis de rejeição reduzem as chances de qualquer candidato no jogo político.

Já Rotta possui uma rejeição, conforme apontam vários levantamentos eleitorais, de algo em torno de apenas 3%. Além de que seu nome aparece nas pesquisas como o único candidato com possibilidades reais de vitória contra Artur Neto, num possível e provável segundo turno.

Porém, no jogo das vaidades políticas é sempre uma tarefa difícil fazer os homens lidarem com estatísticas e chances reais de vitória – e dizem que as mulheres é que são vaidosas, né mesmo? Mas, comenta-se que acima das vaidades, Hissa tem o que o povo costuma chamar de “sangue nos olhos” para derrotar Artur Neto, alguém que resolveu expulsá-lo da administração municipal, num dos lances mais vexatórios da política local.

Se Hissa vai participar dessa jogada ou se vai passar, isso ninguém dá certeza. Mas, o que todos que entendem do jogo político dizem, é que Omar estava jogando sozinho e com pedras marcadas, mas agora o jogo ficou mais complicado. Braga mexeu nas pedras fazendo dupla com Amazonino. A soma de pontos parece que vai ficar para a sexta-feira, nas convenções. (Any Margareth)