Sob risco de punição, servidores da Educação de Caapiranga são obrigados a servir de plateia em evento do governador (ouvir áudio)

A esquerda: Wilson Lima e a direita o prefeito Tico Braz

Um áudio enviado ao Radar confirma denúncias ebviadas por servidores públicos do município de Caapiranga (a 134 quilômetros de Manaus) de que eles estariam sendo obrigados, sob risco de punição, a servir de plateia para bater palmas para o governador Wilson Lima (União Brasil), em um evento que acontece nesta quinta-feira (19) e na sexta-feira (20).

A ordem para os servidores servirem de “claque” – equipe de pessoas aliciadas de alguma forma para vaiar ou aplaudir ou vaiar – teria sido dada pelo próprio prefeito do município, Tico Braz (PSC), aliado do governador.

O evento realizado pelo governo de Wilson Lima vai ter, entre outras coisas, os costumeiros serviços de retirada de documentos que são uma obrigação serem disponibilizados pelo Poder Público, já que são pagos com o dinheiro do contribuinte, mas que o governador Wilson LIma usa pra fazer política como se estivesse fazendo um favor pra população do Estado.

No áudio, a diretora de uma escola avisa que, inclusive, as aulas serão suspensas para que os servidores participem do evento do governador: “Gente só vai ter aula até quarta-feira, quinta-feira a tarde o barco vai tá passando pra levar o pessoal no Membeca (comunidade de Caapiranga)”, diz a diretora em tom de ordem, determinando ainda que seja levado o livro de ponto pra quem for assinar. Ela ameça: “Quem não for vai levar falta”.