Sobe para 26 o número de municípios afetados pela cheia no Amazonas em 2022

Foto: Divulgação

Foi divulgado nessa terça-feira (17) pela Defesa Civil do Amazonas os números atualizados dos municípios atingidos pela cheia de 2022. Agora já são 26 municípios em situação de emergência por conta da cheia dos rios, de acordo com relatório mais recente.

Vale lembrar que a situação de emergência é considerada de maior risco para a população que sofre com a enchente que acontece todo ano. Cerca de 229.603 pessoas e 57.401 famílias já estão sofrendo as consequências da subida das águas dos rios.

Até essa segunda-feira (16), o Rio Negro media 29,24 metros, dentro da cota de inundação severa estabelecida pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). A cota prevista pelo órgão para o ano de 2022 foi de 20,40 metros. Já o Rio Solimões segue ainda na cota de inundação severa de 19,74 metros.

Além dos 26 municípios em situação de emergência, o Amazonas também tem dois municípios em situação de atenção e 31 em situação de alerta.

Os municípios em situação de emergência recebem o reconhecimento legal de que estão passando por uma situação anormal provocada por desastres. Os municípios incluídos nessa classificação são:

  • Calha do Juruá: Guajará, Ipixuna, Envira, Itamarati, Eirunepé, Juruá, Carauari.
  • Calha do Purus: Boca do Acre, Lábrea, Canutama.
  • Calha do Madeira: Borba, Nova Olinda do Norte.
  • Calha do Alto Solimões: Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Santo Antônio do Içá.
  • Calha do Médio Solimões: Japurá, Tefé.
  • Calha do Baixo Solimões: Manacapuru, Careiro da Várzea, Caapiranga, Manaquiri, Anamã.
  • Calha do Médio Amazonas: Itacoatiara, Rio Preto da Eva, Boa Vista do Ramos.

No Estado, há dois os municípios em situação de atenção. A classificação é utilizada quando há risco de um evento meteorológico ou hidrológico significativo e que seja imprevisível, como a cheia. Para essas regiões, a Defesa Civil formula um plano de ação para a ameaça. No momento, os municípios em situação de atenção no Amazonas são:

  • Santa Isabel do Rio Negro.
  • São Gabriel da Cachoeira.

Em situação de alerta que tem como finalidade alertar sobre o perigo ou risco 31 municípios estão na situação são eles:

  • Calha do Purus : Tapauá, Beruri, Pauini.
  • Calha do Alto Solimões: São Paulo de Olivença, Amaturá, Tonantins.
  • Calha do Médio Solimões: Jutaí, Fonte Boa, Maraã, Uarini, Alvarães, Coari.
  • Calha do Baixo Solimões: Codajás, Anori, Iranduba, Careiro Castanho.
  • Calha do Médio Amazonas: Presidente Figueiredo, Silves, Autazes,
  • Urucurituba, Itapiranga.
  • Calha do Baixo Amazonas: Barreirinha, Nhamundá, Urucará, S. Sebastião do
  • Uatumã, Parintins, Maués.
  • Calha do Rio Negro: Manaus, Novo Airão, Barcelos.

  Considerando que o nível das águas ainda vai subir por cerca de mais 30 dias e se mantiver a média de subida a 2cm por dia, a enchente de 2022 pode ficar entre as quatro maiores da história.