Sobe para 41 o total de presos envolvidos em ataques criminosos no Amazonas

Há dois dias Manaus passa por episódios contínuos de ataques de facção criminosa
Foto: Reprodução

Na madrugada desta quarta-feira (6), mais três indivíduos foram presos supostamente envolvidos em ataques criminosos no Amazonas, entre eles, em um atentado com granada ao 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Ao todo 41 pessoas já foram presas por ações criminosas que iniciaram desde a noite do último sábado (5).

Os três homens foram identificados como João Vitor de Azevedo Melo, de 22 anos; Sidynei Matheus Santos Machado, 23, conhecido como “Maranhão”; e Roney Marinho Machado, 26. As prisões aconteceram em diferentes áreas da capital, nos bairros Japiim e São Lázaro, na zona sul, e no bairro Tancredo Neves, zona leste. Com o trio a polícia encontrou uma quantidade de maconha, cocaína e pedras de oxi.

De acordo com o titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Louismar Bonates, com a captura dos infratores na madrugada de hoje (09), chega a 41 a quantidade de pessoas presas por ações criminosas tanto na capital quanto no interior do estado.

O delegado titular do 24º DIP, Marcelo Martins, explicou que as diligências policiais contaram com apoio das equipes do 3º DIP e da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Decon). Segundo ele, cada prisão teve origem em apurações relacionadas tanto ao atentado no 24º DIP, quanto na tentativa de ataque ao 3º DIP.

Ordens de ataques vieram do RJ

Com a cheia do rio Negro, os indivíduos usaram duas lanchas para chegar às dependências do 24º DIP e cometer o crime. Ele informou, ainda, que Roney Marinho Machado tinha contato direto com criminosos do estado do Rio de Janeiro, responsáveis por determinar os ataques.

O trio foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Sidynei, que já possui dois mandados de prisão, responderá também por organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo. Além do flagrante, Roney responderá por uso de documento falso. Todos serão encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficarão à disposição da Justiça.

(*) Com informações da Secom