Sobe para 42 o número de cidades no Amazonas em estado de emergência por causa da cheia

O nível do Rio Negro atingiu nesta sexta-feira (3) a marca de 29,51 metros.

Cheia de 2022 em Eirunepé, interior do Amazonas. O município está em situação de emergência. — Foto: Secom

Mesmo com a cota do nível dos rios reduzido, o número de cidades no interior do Amazonas afetadas pela cheia de 2022 aumentou para 42. Os dados são do relatório da Defesa Civil Estadual divulgado nessa quinta-feira (2).

De acordo com a Defesa Civil, até o dia 20 de maio, 35 municípios estavam em situação de emergência.

Com o levantamento, foram apontados cerca de  467.244 pessoas e 116.811 famílias que estão sendo prejudicadas pela enchente. Um dos municípios que mais tem pessoas afetadas é  Manacapuru onde são quase 39 mil pessoas.

Segundo dados disponíveis no site do Porto de Manaus, o nível do Rio Negro atingiu nesta sexta-feira (3) a marca de 29,51 metros.
Desde o dia 7 de maio, a subida da água ultrapassou a marca de inundação severa, que é de 29 metros. A marca atual já representa a oitava maior cheia registrada em Manaus.
Confira a lista de municípios incluídos na classificação de emergência:
  • Calha do Juruá: Guajará, Ipixuna, Envira, Itamarati, Eirunepé, Juruá, Carauari;
  • Calha do Purus: Boca do Acre, Canutama;
  • Calha do Madeira: Borba, Nova Olinda do Norte;
  • Calha do Alto Solimões: Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Santo Antônio do Içá, Amaturá, Tonantins;
  • Calha do Médio Solimões: Japurá, Tefé, Uarini, Jutaí, Fonte Boa, Maraã;
  • Calha do Baixo Solimões: Manacapuru, Careiro da Várzea, Caapiranga, Manaquiri, Anamã, Careiro Castanho, Iranduba