Socorro! Chama a polícia! Não dá pra atender porque todas viaturas estão numa carreata de campanha política (ver vídeo)

Será possível? Eu estou vendo isso mesmo? Num vídeo aparecem incontáveis viaturas e motos da Polícia Militar participando de uma carreata da campanha a deputado estadual do presidente da Associação do Praças do Estado do Amazonas (APEAM), Platiny Soares, candidato que faz parte da coligação “Fazendo mais por nosso gente”, do governador e candidato à reeleição, professor José Melo, que inclusive já foi acusado através de denúncias – com gravação em áudio e vídeo – aos veículos de comunicação de fazer campanha política dentro dos quartéis para si próprio e para Platiny Soares.

O jornalista Marcos Santos, que apresenta o jornal Manhã de Notícias, da TV Tiradentes, classificou o fato de “inacreditável”, e decidiu só dar crédito de que o fato era verdadeito, quando seu parceiro na apreentação do jornal, jornalista Ronaldo Tiradentes, apresentou um video com o que ele chamou ironicamente de “viaturata” e “motocicletata”, ou seja, uma carreata composta por viaturas e motos da PM. Confesso que também só acreditei depois que a turma aqui do Radar captou essas imagens e me fez vê-las, porque não dá pra conceber que, na sexta-feira (12) quando vários assaltos estavam acontecendo pela cidade e a população estava aterrorizada, carros e motos da polícia foram deslocados da segurança pública para participar de campanha política.

Será que esses policiais e suas lideranças não enxergam que isso é uma afronta e uma falta de respeito com a população que paga seus salários e inclusive deu total apoio quando eles paralisaram atividades para lutar por melhores salários e condições de trabalho? E onde está o comando da PM que não vê uma coisa dessas? Ou sera que o comando não possui mais autoridade sobre a tropa? E sera que o sr. Platiny e seus apoiadores não sabem que utilizar a máquina pública em benefício próprio em detrimento da coletividade é crime eleitoral, passível de cassação de registro e inelegibilidade por oito anos? Com a palavra quem pode (e deve) responder à população: o Governo do Estado, o comando da PM e a Justiça Eleitoral. (Any Margareth)

Ver vídeo