SSP determina reforço policial nas unidades de saúde após tiroteio no HPS 28 de agosto

Após homens de facções criminosas invadirem, nesse domingo (25), o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul para executar rival, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) determinou o reforço policial nas unidades de saúde do Estado. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa, nessa segunda (26).

“Já determinamos o reforço nas unidades com viaturas da Força Tática e da Rocam (Rondas Ostensivas Cândido Mariano). Além disso, vamos adotar um novo procedimento conforme a dinâmica dos eventos. Se houver um confronto e dele resultar feridos que fiquem internados, reforçaremos as portarias para que não haja estímulo para que outros tentem cometer um crime lá dentro”, afirmou o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Amadeu Soares,

Na ocasião, Everton Lima Martins, 23, Gabriel Moreira de Melo, 22, e Renan Alves Maia, 22, foram presos. Dois revólveres calibre 38 também foram apreendidos durante a ação.

Entenda o caso

Segundo a SSP, por volta das 18h do domingo, Everton e mais um comparsa foram ao hospital, na tentativa de executar Adriano Batista de Araújo, 25, vulgo “Porocada”, que estava internado após sofrer uma tentativa de homicídio mais cedo no bairro Compensa, zona oeste.

Após tentar executar Adriano, Everton foi atingido em um tiroteio com dois homens que acompanhavam Adriano e foi levado para o HPS João Lúcio, mas foi a óbito por às 5h30 na manhã desta segunda.

Já Gabriel e Renan foi levados para o 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Conforme as investigações preliminares, os dois são do mesmo grupo de Adriano, rivais da organização criminosa de Everton e o comparsa foragido.

Durante o tiroteio, os policiais da Rocam, Força Tática, 12º Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e 22ª Cicom foram acionados.

Inquéritos

De acordo com o delegado-geral Adjunto, Ivo Martins, três inquéritos foram abertos, um para apurar a tentativa de homicídio de “Pocorada” no bairro Compensa, outro para apurar a tentativa de homicídio dentro do Hospital e outro para apurar o efetivo homicídio de Everton.

“Os fatos estão sendo levantados e não dá para tirar uma conclusão nesse momento. Nos próximos dias deveremos ter uma definição mais clara a respeito da dinâmica dos fatos. O que chama a atenção neste caso é a audácia dos envolvidos, mas queremos destacar que a PM atuou de forma muito rápida e efetiva”, afirmou Martins.

Com informações da assessoria da SSP-AM.