STJ fecha o cerco ao governo de Wilson Lima

blank

Foto: Reprodução Instagram

As informações que chegam de Brasília até o Radar mostram que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) está cada vez mais fechando o cerco em Wilson Lima e no seu governo.

O governador conseguiu mandar pro arquivo morto – bem mortinho mesmo! – seu pedido de impeachment por crime de responsabilidade pelas centenas de mortos por Covid-19 que não foram salvos por falta de estrutura nas unidades de saúde do Estado, como por exemplo a falta de respiradores. Pra sepultar seu impeachment ele contou com o fato de ter maioria na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Mas se o governador achou que podia respirar aliviado que não ia dar em nada a compra feita pelo seu governo de respiradores superfaturados em loja de vinho e, ainda por cima, não indicados para tratamento de pacientes com Covid-19, se enganou redondamente. Ele prepare o balão de oxigênio porque vai sentir falta de ar de tanto aperto que vem por aí.

A compra dos respiradores foi só um ponto de partida para outras investigações. O STJ mirou há alguns dias outros alvos do governo de Wilson Lima, as chamadas eminências pardas do governo, que chegam a mandar até mais do que o próprio Wilson Lima.

Um exemplo disso é que o lobista Alessandro Bronze, que tem livre trânsito em várias secretarias, ficou na mira do STJ. Na semana passada, foi autorizado pelo ministro Francisco Falcão o pedido do Ministério Público Federal (MPF) da quebra do sigilo telefônico do lobista.

Agora é esperar pra ver o teor da conversa depois que Bronze diz alô ao telefone para secretários do governo e principalmente se disse: alô governador!