Supersecretário diz que vai premiar delegados por fazerem seu trabalho – combater a criminalidade (ver vídeo)

Mesmo recebendo salários que variam de R$ 20 a R$ 30 mil (dependendo da classe), os delegados da Polícia Civil do Amazonas podem ser premiados por fazer o que já são pagos para fazer: combater à criminalidade.

A medida foi anunciada pelo super secretário coronel da PM Walter Cruz, empossado nessa quarta-feira (22), como secretário extraordinário e responsável pelo projeto GuardiAM24Horas – novo programa de segurança pública com base na consultoria da empresa Giuliani Security & Safety comandada pelo ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, durante a solenidade de posse.

“Se o comandante e delegado estiverem trabalhando, ok, vão receber os parabéns. Estamos pensando, inclusive, em premiação. Se estiver mal, vamos trabalhar novamente, vamos fazer com que ele entenda a filosofia e fiscalizar. Se continuar os índices (ruins de criminalidade), vamos retirar (os comandantes e delegados)”, disse o secretário recém-empossado ao deixar claro que os comandantes e policiais que não apresentarem resultados satisfatórios serão exonerados de suas funções.

Nada do Radar contra os Delegados, Policiais Civis ou Militares que têm trabalhado, sem a estrutura e apoio necessários para o desempenho das funções, afinal, são eles que vão para as ruas enfrentar o caos que se tornou a segurança no Amazonas.

Mas, o problema da segurança pública certamente não será resolvido premiando policiais ou demais servidores.

Com a nova política de Segurança Pública do Amazonas, Walter Cruz está acima do secretário de Segurança, coronel Anézio Paiva, do Comandante da Polícia Militar do Amazonas, David Brandão, e do Delegado-Geral da Polícia Civil, Mariolino Brito.

Segundo o Decreto 39.439, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) nessa terça-feira (21), o supersecretário tem três missões estratégicas: integrar os órgãos de Segurança Pública para reduzir os índices de criminalidade; integrar o sistema estadual de segurança com o sistema federal de segurança; e, por fim, incentivar a sociedade civil e entidades privadas a participar do desenvolvimento, implantação e execução de políticas públicas de segurança.

Decreto que atribui missões estratégicas para o coronel Walter Cruz