Suposta ‘grávida’ afirma ter sido sequestrada e ter dado à luz durante corrida por aplicativo em SP; hospital nega gravidez

A mulher foi encaminhada ao Hospital Municipal de São Vicente, no litoral de SP, e os familiares foram contatados. — Foto: Reprodução/ Facebook/ Reprodução/Alexsander Ferraz Jornal A Tribuna

Uma técnica de enfermagem, de 40 anos, foi encontrada por policiais militares em São Vicente, no litoral de São Paulo, na noite da última terça-feira (3) e afirmou que seu bebê havia sido roubado após o parto. A Polícia Militar [PM] chegou a fazer buscas no local onde ela apontou ter sido abandonada, mas não encontrou nada.

Deise do Espírito Santo é moradora de Santo André, no ABC Paulista, e saiu de casa após sentir contrações – ela estaria grávida de oito meses. O namorado dela, Rodrigo Morais, de 38 anos, afirmou ao g1 que a companheira teria entrado em um carro de aplicativo por volta de 11h30 com destino ao Hospital e Maternidade Christóvão da Gama.

“Ela entrou em trabalho de parto, pegou um táxi [era corrida por aplicativo] e o motorista disse que iria parar para abastecer, mas não o fez. Ele andou mais um pouco e pegou uma mulher, que entrou o carro e anunciou o sequestro”, conta o rapaz.

Segundo Morais, a namorada contou se lembrar apenas de ter sido vendada e dado à luz dentro do veículo, antes de ter sido abandonada sem o bebê próximo à linha do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), em São Vicente (SP).

O rapaz acrescenta que Deise entrou em contato, ser ter sido deixada no litoral de São Paulo. Foi nesse momento que ela contou o que havia acontecido.

A PM informou ter sido acionada por volta de 19h pelo namorado, que relatou a situação apresentada por Deise, sobre o sequestro e roubo do bebê. Os policiais fizeram diligências próximo a linha do VLT, mas não encontraram nenhuma pista relacionada ao caso.

A mulher foi encaminhada ao Hospital Municipal de São Vicente [antigo Crei] às 20h56, acompanhada da Polícia Civil, Guarda Civil Municipal e Corpo de Bombeiros. Os familiares foram contatados.

Não estava grávida

Em nota, a Secretaria de Saúde de São Vicente informa que a paciente apresentou bom estado geral no exame físico. O teste ginecológico, revelou discreto sangramento na região vaginal, pouca dilatação do útero e nenhuma laceração no canal vaginal.

A equipe da Maternidade Municipal adotou a conduta de internação para suporte clínico e realização de exames. Segundo a prefeitura, a paciente recusou a internação e, às 21h30, se fugiu do local.

Às 21h50, porém, ela retornou ao hospital e concordou com a internação, passando por nova avaliação.

Os exames de sangue, de acordo com a Secretaria de Saúde, apontaram que não havia indícios gravidez ou qualquer dilatação no útero que indicasse o trabalho de parto.

Na manhã desta quarta-feira (4), Deise saiu do Hospital Municipal de São Vicente sem ter alta médica e retornou, junto o namorado, ao Hospital e Maternidade Christóvão da Gama, onde deu entrada e segue internada, segundo Morais.

Um boletim de ocorrência de desaparecimento foi registrado na Delegacia Sede de São Vicente e a Polícia Civil investiga o caso.