Suposto assassino do Sargento Lucas Guimarães é preso pela PC (ver vídeo)

O acusado já havia sido preso pela polícia em 2018 pelo crime de roubo

Foto: Divulgação

Um homem, identificado como Silas Ferreira da Silva, foi preso na noite desta segunda-feira (22), acusado pelo assassinato do Sargento Lucas Guimarães, que foi executado no último 1º de setembro com três tiros na cabeça. Segundo informações dos policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEH), a prisão do suspeito ocorreu no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona Leste de Manaus.

Segundo informações policiais, Silas já havia sido preso em 2018 pelo crime de roubo sob a posse de uma arma de fogo falsa. No ato da prisão, os policiais civis apreenderam uma motocicleta de placa PHI 7817, que teria sido supostamente usada no momento da execução do sargento.

Recompensa de R$ 40 mil

Devido a demora para encontrar o homem que matou o sargento Lucas Guimarães, os familiares dele, prometeram pagar uma recompensa no valor de R$ 40 mil para quem tiver informações sobre o paradeiro do pistoleiro que atirou contra Lucas.

Foto: Reprodução

Ainda não há informações de como a polícia chegou até este suspeito, e se ele já revelou nomes que teriam encomendado a morte do sargento. As informações devem ser repassadas durante coletiva de imprensa nesta terça-feira (23).

Relembre o caso

Segundo a delegada Marna de Miranda, na época, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Lucas Ramon Guimarães tinha um envolvimento amoroso com Jordana Azevedo Freire, esposa de Joabson Agostinho Gomes, donos da rede Vitória Supermercados.

A polícia constatou que o envolvimento amoroso acontecia desde dezembro de 2020 e Jordana desviava dinheiro do supermercado Vitória e dava para o sargento Lucas Ramon. O sargento passou então a ser ameaçado quando a traição foi descoberta. Até que no dia 1º de setembro foi executado a tiros por um atirador, que segundo as investigações, foi contratado para matar Lucas.

No último dia 10 de novembro o Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou soltar Jardana Azevedo e seus esposo Joabson Agostinho Gomes.