Supremo solicita informações ao governo Bolsonaro sobre Copa América no Brasil

O presidente do Brasil, rodeado de jogadores, segura a taça da Copa América/ Carl de souza- AFP

O presidente do Brasil, rodeado de jogadores, segura a taça da Copa América/ Carl de souza- AFP

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), solicitou nesta terça-feira (1º) informações à Presidência da República sobre a realização da Copa América no Brasil. O Palácio do Planalto tem cinco dias para prestar esclarecimentos à corte.

Lewandowski é relator, desde o ano passado, de uma ação em que partidos de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) questionam atos e eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia do novo coronavírus.

Nesta segunda-feira (31), após a informação de que o Brasil negocia com a Conmebol a realização da competição no país –Colômbia e Argentina abriram mão de sediar o torneio–, o PT pediu ao Supremo para que interceda no assunto.

Os colombianos desistiram do campeonato em seu território por conta dos protestos e da violência registrados nas ruas do país, enquanto que os argentinos alegaram o recrudescimento da pandemia da Covid.

E ainda que o Supremo suste a “assinatura de contratos e protocolos que possam vir a ser firmados entre o Estado Brasileiro e a entidade esportiva internacional, ou mesmo entre o governo Federal e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol)”.

“A realização de tal tipo de competição significa a entrada de milhares de pessoas no Brasil, havendo a possibilidade de circulação de novas variantes da Covid-19 e, por conseguinte, o aumento do espectro de cepas a serem combatidas em território nacional”, afirmou o PT.

Bolsonaro defendeu nesta terça a realização da Copa América no Brasil e comparou o torneio a outras competições esportivas que ocorrem no país.

Ele ainda acusou a rede Globo de estar por trás das reações contra a organização do campeonato no Brasil, por conta de direitos de transmissão.

“No que depender de mim, todos os ministros —inclusive o da Saúde— já está acertado, haverá [Copa América no Brasil]. Protocolo é o mesmo da Libertadores, da Sul-Americana, é a mesma coisa”, disse, ao sair do Palácio da Alvorada.