Susam minimiza problemas no Delphina Aziz e diz que “está mantendo todos os serviços funcionando”

Após à população reclamar da demora no atendimento médico no Hospital e Pronto Socorro Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na Zona Norte de Manaus, conforme confirma a matéria do Radar – “População sofre sem atendimento em hospital com estrutura de primeiro mundo, o Delphina Aziz”, a Susam insiste que usa o método com classificação de risco com o grau de urgência de cada paciente.

Para buscar explicações da péssima situação do serviço público de saúde naquela unidade, o Radar bem que tentou falar mais uma vez com o secretário Francisco Deodato, mas sem novidade. Ele continua só respondendo por meio da assessoria de imprensa, que também só atende por e-mail.

Diante de vários pacientes passando mal, que reclamaram da demora no atendimento e da falta de médicos no Delphina Aziz, inclusive com queixas do serviço da recepção como mostra a reportagem, a Susam limitou-se a responder que as unidades de urgência e emergência trabalham com classificação de risco, dizendo em sua nota de esclarecimento que prioriza quem está em estado mais grave, “enquanto pacientes que não são urgentes precisam aguardar um pouco mais que os outros, o que nem sempre é compreendido por parte dos usuários”. Mas será que dá para explicar isso para uma pessoa doente?

Sobre a saída do Instituto de Medicina Estudos e Desenvolvimento (Imed), que deixou a gestão do hospital nessa sexta-feira ,(27), após encerramento de contrato, a Susam informou que assumiu a administração da unidade no dia seguinte (28). Segundo a pasta, foi aberto processo de qualificação de novas organizações sociais interessadas em participar do processo de seleção que resultará em um novo contrato de gestão. Enquanto isso, a Susam diz que “manterá todos os serviços que estavam funcionando”.

O Radar questionou ainda a secretaria de saúde, o motivo do HPS Delphina Aziz não funcionar em sua totalidade, mesmo possuindo uma estrutura e equipamentos modernos, o que desafogaria as filas de atendimento não só naquela unidade de saúde. Mas não obtivemos resposta. Pelo jeito, a população continuará esperando horas e horas por um atendimento médico sem saber a real razão disso.

Confira resposta na íntegra

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que assumiu o Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte (HPS Zona Norte) no dia 28 de abril, após encerramento do contrato com o Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (Imed), organização social até então responsável pela gestão assistencial de saúde da unidade. A secretaria abriu processo de qualificação de novas organizações sociais interessadas em participar do processo de seleção que resultará em um novo contrato de gestão. Enquanto durar o processo, a Susam está mantendo todos os serviços que estavam funcionando, inclusive ampliando a oferta dos mesmos.

Quanto à reclamação de atendimento, a secretaria informa que as unidades de urgência e emergência trabalham com classificação de risco que prioriza quem está em estado mais grave enquanto pacientes que não são urgentes precisam aguardar um pouco mais que os outros, o que nem sempre é compreendido por parte dos usuários.