Suspeitos de furar fila da vacinação contra Covid-19 em Manaus são exonerados

Os médicos investigados pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM) suspeitos de terem furado a fila na vacinação contra a Covid-19 em Manaus, foram exonerados pela Prefeitura de Manaus nessa sexta-feira (12). Entre os nomes estão as gêmeas Isabelle E Gabrielle Lins – que inclusive já receberam a segunda dose do imunizante – A lista consta no Diário Oficial do Município (DOM). (Veja documento no final da matéria).

As gêmeas Lins geraram revolta na internet após compartilharem no último dia 19 de janeiro o momento em que foram vacinadas na Unidade Básica de Saúde (UBS) Nilton Lins. Imediatamente o fato gerou repercussão após a confirmação de que as duas médicas são recém-formadas, uma delas se inscreveu no Conselho Regional de  Medicina em maio do ano passado (Gabrielle) e outra no mês de dezembro (Isabelle).

As duas irmãs também foram nomeadas recentemente para a Prefeitura de Manaus, uma delas foi nomeada para o cargo de Gerente de Projetos um dia antes de ser vacinada (Gabrielle), com salário de R$ 8.000 (oito mil reais).  Outro fato que chamou é que Isabelle Lins passou a ser servidora da saúde do município no mesmo dia em que foi vacinada na lista de prioridades.

Segunda dose

Mesmo sendo alvo de investigações do Ministério Público por  terem furado a fila da imunização, as gêmeas receberam a segunda dose do imunizante em fevereiro. Na última quarta-feira (10), a Juíza Jaiza Fraxe, da 1ª Vara Federal Cível do Amazonas, se manifestou, em sua conta no Twitter, afirmando que não estava autorizada a aplicação da segunda dose nas pessoas fora do grupo prioritário.

“A informação é que a Justiça Federal não autorizou a nenhum fura fila permanecer no ilícito, descumprindo o plano nacional de imunização do MS [Ministério da Saúde]. Pessoas estão morrendo por causa desse tipo de comportamento”, disse a juíza.

A magistrada afirmou, ainda, que, após investigação e comprovação, quem repetiu o erro será penalizado por ação de improbidade, em razão do dano ao erário, do privilégio ilícito e da infração do princípio da moralidade.

David Dallas

Quem consta na lista dos exonerados também, é o médico David Dallas, que foi vacinado como prioridade no mesmo dia em que foi nomeado. Ele é filho do ex-deputado Wanderley Dallas e se formou em Medicina no dia 14 de dezembro na Universidade Nilton Lins , ou seja, há pouco mais de um mês de ser imunizado.

Outros nomes que também aparecem na lista dos exonerados são: Alessandro Silva Pontes, Carla Angelina Lima Ribeiro, Gabriela Pereira de Aguiar e Tatiana Mota Lotti ambos denominados como “Gerentes de Projeto”.